Institucional

Testemunho: “Um jovem não precisa deixar de ser autêntico para ser de Deus”

comshalom

img_7532-e1480820993183-200x300O Espaço Adventure é um dos ambientes mais diferentes do Festival Halleluya, com competições esportivas, música eletrônica e muito mais. Por isso, também atrai um público diverso, que somente o esporte é capaz de conquistar. O missionário da Comunidade de Vida, Aluizio Temoteo, de 24 anos, conta sua experiência pessoal, que o faz afirmar que “o esporte tem sim um forte poder de evangelização”.

Natural do Rio de Janeiro, Temoteo conta que desde muito jovem morava sozinho, começou a frequentar festas e a consumir bebidas e drogas. Ainda nesse ambiente, começou a praticar esportes como skate, surf, futebol, basquete, pelos quais desde então é apaixonado. E foi nesse ambiente onde conheceu a Deus e descobriu sua vocação a ser missionário.

Pela segunda vez coordenando o Espaço Adventure em Natal, Timoteo conta que sua maior missão é mostrar para a juventude que ser inteiramente de Deus faz da sua vida ainda mais radical. “Vejo que Deus me chama a evangelizar esse tipo de jovem de forma específica, porque eles não precisam ouvir o que eu falo, eles veem na minha vida. Uma pessoa, igual a você, pode ser de Deus? Um cristão, missionário, pode andar de skate, pode surfar? Daí então eles veem a resposta na minha vida”, conta.

Segundo Timoteo, a sua vivência como missionário não fez com que ele entrasse em uma “forma”, mas permite que ele possa trazer para a vida ordinária também à sua autenticidade. “Eu quero mostrar para os jovens que eles não precisam deixar de ser autênticos para serem de Deus.  Como eu, que gosto de boné de aba reta, tênis de cano alto, surfo quase todo dia, ando de longboard, e sou missionário da Comunidade de Vida”, explica Temoteo.

Entre as histórias de evangelização vividas ao longo desses anos, Timoteo conta que morou em Recife/PE, em seu período de postulantado, participando de grupos de skate e surf com o objetivo de ensinar, mas principalmente evangelizar os jovens.

“É como naquela passagem de São Paulo, se fazer fraco com os fracos, fazer de tudo para estar com eles. E assim, eles percebiam que eu era um jovem como eles, mas que tinha algo de diferente. Um dia um deles, Xande, me perguntou: O que você quer de mim? E eu o respondi que queria que ele fosse feliz com eu era. Hoje ele é um fruto concreto dessa evangelização, deixou as drogas e trilha um caminho vocacional para a Comunidade de Vida Shalom”, relata.

Halleluya Adventure

Nathalia Alice, de 17 anos, faz parte de um grupo de cinco amigos que vieram pela primeira vez ao Halleluya Natal, e conta que se surpreendeu com o espaço Adventure. “Esperava encontrar apenas música de Deus e gente rezando na minha cabeça”, brinca a adolescente. Questionada sobre o que achou do evento, ela o define como “top”, e prometeu voltar com os amigos amanhã. O Festival Halleluya e o espaço Adventure seguem até este domingo (04), a partir das 18 horas, no Anfiteatro da UFRN.

Larissa Moura


Comentários

Aviso: Os comentários são de responsabilidade dos autores e não representam a opinião da Comunidade Shalom. É proibido inserir comentários que violem a lei, a moral e os bons costumes ou violem os direitos dos outros. Os editores podem retirar sem aviso prévio os comentários que não cumprirem os critérios estabelecidos neste aviso ou que estejam fora do tema.

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *.

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *