Formação

Um apóstolo do mistério da cruz

Conheça a história de São João da Cruz, santo, teólogo, poeta, diretor das almas e doutor místico da Igreja

comshalom

São João da Cruz, nasceu Juan Yepes Alvarez, em 1542, na cidade de Fontivero, na Espanha. Filho caçula de Gonzalo de Yepes e Catarina Alvarez, teve por irmãos Francisco e Luís. Seu pai descendia de uma tradicional e rica família de Toledo, entretanto, perdeu seu direito a herança ao casar com a jovem Catarina, de família humilde.

Gonzalo fez sua páscoa ainda jovem e sua partida prematura deixou a família fragilizada e com dificuldades financeiras. Diante dessas dificuldades, a alternativa da misera família foi deixar Fontivero e seguir para cidade de Medina.

Na nova cidade, João estudou no “Colégio de la Doctrina”, destinado a meninos pobres e órfãos, e ainda jovem começou a trabalhar. Sempre disposto, enveredou por algumas profissões, dentre elas ajudante no hospital local.
A noite, estudava gramática no Colégio Jesuíta e cercado da espiritualidade e influenciado pelos padres da companhia de Jesus, o jovem João viveu seu despertar vocacional e aos vinte e um anos, entrou na Ordem Carmelita, em busca de uma vida de profunda oração.

Ordenação Sacerdotal e vida de cruz

Sua ordenação sacerdotal ocorreu aos vinte cinco anos e nessa ocasião mudou seu nome para João da Cruz, pois já tinha o desejo de se aproximar dos sofrimentos da cruz.

Em 1577, foi sequestrado e mantido encarcerado em uma pequena cela escura, sem qualquer tipo de conforto. O motivo deste ato foi o descontentamento com a Reforma da Ordem Carmelita empreendida por ele e por Santa Tereza D’Ávila.

Permaneceu encarcerado, envolto de solidão, submetido a flagelos, pobre alimentação e injurias constante durante nove meses. Nesse contexto, deu-se início a sua produção místico poeta, graças a ajuda de um carcereiro movido de misericórdia, que lhe deu parco e tinta.

Apesar do infortuno vivido e da provação enfrentada, em um movimento profundo de interiorização nasceram seus poemas cânticos, frutos de experiência encarnada de enfrentar as provações com amor e afinco, sem deixar se roubar pelo que o cercava.

Vida de oração e intimidade com Deus

A transparência e liberdade de Espírito que João da Cruz nos revelou com sua vida, mostra-nos o importante e frutífero caminho de profundidade na vida de oração e intimidade com Deus.

Diante dos anseios que permeavam sua alma, sua sede de Deus o conduziu a trilhar um novo itinerário, um novo caminho, de saída de si, de busca do eterno e ascese transcendente da alma, que destoava de alguns irmãos da ordem, como na amizade com Tereza D’ávila, encontro de Almas Esponsais que gerou reciproca unidade.

Todo esse ímpeto por Deus revela um coração apaixonado, que se consome por um fogo ardente que não cessa, uma chama viva de amor, o levou a enfrentar os desafios e sofrimentos com resiliência, silêncio fecundo e frutuoso.

Obras e frutos

Das provações que enfrentou, que não foram poucas, encontramos frutos tangíveis dos quais é possível citar quatro títulos de suas obras literárias: “A subida ao Monte Carmelo”, “A noite Escura “, “O Cântico Espiritual” e “A chama Viva”, que revelam o centro motivacional da ascese que é o amor a Deus.

Ele inaugurou um novo: foi o primeiro Carmelita descalço a ser decretado doutor da igreja. Com sua vida e santidade, inspirou a todos, até os mais santos como Santa Terezinha do Menino Jesus e o Beato Maria Eugenio de Menino Jesus relatam em seus escritos profunda admiração.

A busca incessante pelas virtudes e a prática da moral revelavam sinais exteriores de santidade e amor divino. Mas, o recolhimento, a mortificação e o jejum foram elementos e práticas fundantes para alcançar a meta crescente da vida interior.

Todo seu esforço teve por finalidade levar almas a crescer na contemplação e, por meio dela, na perfeição mística. Santo, teólogo, poeta, diretor das almas, doutor místico, ele foi além dos princípios teológicos que revelou a urgência da experiência com Deus e indicou a direção dos esforços, para evitar a ilusão e reconhecer sinais de progresso e regresso da alma. São João da Cruz nos apresenta com a vida o caminho do Amor, por meio da oração contemplativa.

“E não hei de alegrar me havendo já adorado e visto meu Senhor.”

São João da Cruz, faleceu no dia 14 de dezembro de 1591, dia em que também celebramos sua festa. Neste dia, convidamos você a mergulhar no mistério da vida contemplativa de São João da Cruz, contando com auxílio de sua herança literária e também de sua intercessão.

São João da Cruz, rogai por nós!

Águeda Lima
Missionária da Comunidade de Aliança


Comentários

Aviso: Os comentários são de responsabilidade dos autores e não representam a opinião da Comunidade Shalom. É proibido inserir comentários que violem a lei, a moral e os bons costumes ou violem os direitos dos outros. Os editores podem retirar sem aviso prévio os comentários que não cumprirem os critérios estabelecidos neste aviso ou que estejam fora do tema.

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *.

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *