Formação

“Vende o que tens e segue-me”

comshalom

Ao lermos os Evangelhos, podemos encontrar alguns exemplosde chamados que Jesus fez e que foi correspondido, como por exemplo, quandoJesus chama Mateus: “Partindo dali, Jesus viu um homem chamado Mateus, queestava sentado no posto do pagamento das taxas. Disse-lhe: Segue-me. O homemlevantou-se e o seguiu” (Mt 9,9). Podemos ver que prontamente Mateus respondeuao chamado de Cristo.

 Entretanto, encontramos também exemplos de vocações que nãoforam correspondidas, como é o caso da do jovem rico.

 “Um jovem aproximou-se de Jesus e lhe perguntou: Mestre, quedevo fazer de bom para ter a vida eterna?” (Mt 19,16) Vemos neste versículo queum jovem toma a iniciativa de perguntar a Jesus sobre um assunto importante: avida eterna, ou seja, como conquistar a vida eterna? 

 O diálogo continua entre os dois: “Disse-lhe Jesus: ‘(…)Se queres entrar na vida eterna, observa os mandamentos’. ‘Quais?’ perguntouele. Jesus respondeu: ‘Não matarás, não cometerás adultério, não furtarás, nãodirás falso testemunho,honra teu pai e tua mãe, amarás teu próximo como a timesmo’” (Mt 19,16-19).

 Jesus responde ao jovem com uma pequena lista demandamentos, todos relacionados ao próximo: não matar, não cometer adultério,não roubar, não levantar falso testemunho, honrar pai e mãe, enfim, amar opróximo como a si mesmo. Diante desta proposta de Jesus o jovem responde comconvicção e, porque não, orgulho: “Disse-lhe o jovem: ‘Tenho observado tudoisto desde a minha infância. Que me falta ainda?’” (Mt 19,20)

 Podemos dizer que ele era um exemplo de jovem religioso,era, como se diz, o filho que toda mãe gostaria de ter, vivia com fidelidade todosos deveres da religião judaica, e isso desde a sua infância.

 Jesus percebe a sua convicção de ser fiel nos cumprimentosda fé e então Ele faz o chamado:

“Se queres ser perfeito, vai, vende teus bens, dá-os aospobres e terás um tesouro no céu. Depois, vem e segue-me!” (Mt 19,21)

 Essa proposta de Jesus é importantíssima, pois seanalisarmos, por exemplo, a resposta que Jesus dá ao doutor da lei quando lheperguntou qual era o maior mandamento da lei de Deus, Ele respondeu: “Amarás oSenhor teu Deus de todo teu coração, de toda tua alma e de todo teu espírito(Dt 6,5). Este é o maior e o primeiro mandamento. E o segundo, semelhante aeste, é: Amarás teu próximo como a ti mesmo (Lv 19,18). Nesses dois mandamentosse resumem toda a lei e os profetas” (Mt 22,36-40).

 Porque Jesus não disse ao jovem que uma condição para entrarna vida eterna era amar a Deus sobre todas as coisas? Eis aí o segredo daproposta que Jesus fez ao jovem quando lhe disse: “Se queres ser perfeito, vai,vende teus bens, dá-os aos pobres e terás um tesouro no céu. Depois, vem esegue-me!” Por traz desta proposta de Jesus está o chamado a ter Deus emprimeiro lugar na vida, está o chamado à primazia de Deus. Quando respondemosao chamado do Senhor, nós estamos nos dispondo a investir a vida para amar aDeus sobre todas as coisas.

 Jesus viu que o jovem era sincero ao dizer que já observavaos mandamentos, ele dizia a verdade, mas o Senhor viu que lhe faltava umacoisa: a primazia de Deus, cumprir todos os mandamentos por amor a Deus, e nãopor amor a si mesmo, ou para ser um exemplo de pessoa que cumpre tudodireitinho. Jesus percebeu que faltava o amor a Deus. A proposta de tudo deixare seguir Jesus seria a prova de que ele estava disposto a tudo pela vidaeterna, era a prova de que ele realmente estava disposto a tudo fazer para amara Deus, mas, infelizmente, diante desse chamado do Senhor o Evangelho nosmostra qual foi a reação desse jovem: “Ouvindo estas palavras, o jovem foiembora muito triste, porque possuía muitos bens” (Mt 19,22).

 Outro exemplo de jovem

 Ainda nos Evangelhos, podemos encontrar o exemplo de umaoutra pessoa que, ao ser chamada por Cristo, respondeu prontamente: oevangelista João, que segundo os especialistas, era o mais jovem dos apóstolos.Assim, acabamos de ver o exemplo de um jovem que disse não ao chamado de Deus eagora veremos outro que disse sim ao chamado que recebeu: “Uns poucos passosmais adiante, viu Tiago, filho de Zebedeu, e João, seu irmão, que estavam numabarca, consertando as redes. E chamou-os logo. Eles deixaram na barca seu paiZebedeu com os empregados e o seguiram.” (Mc 1,19-20)

 Podemos ver que como Pedro e André, João e seu irmão Tiagoeram também pescadores. Entretanto, é importante prestarmos atenção a umdetalhe que encontramos no Evangelho de Lucas: “O mesmo acontecera a Tiago eJoão, filhos de Zebedeu, que eram seus sócios. Então Jesus disse a Simão: Nãotemas; doravante serás pescador de homens. E atracando as barcas à terra,deixaram tudo e o seguiram.” ( Lc 5, 10-11)

 Embora esses quatro homens fossem pescadores, eles não erampescadores quaisquer. Segundo alguns estudiosos, à luz também dessas palavrasdo Evangelho de Lucas, eles tinham uma Companhia de Pesca, ou seja, eles tinhamcerta estrutura econômica e social, até porque naquele tempo a pesca era umgrande meio de sustento, como ainda o é hoje em muitos lugares. João faziaparte desta Companhia, era um jovem trabalhador, cheio de projetos, como todojovem, mas diante do chamado que o Senhor fez, ele tudo deixou para segui-Lo.Ele percebeu que só Jesus poderia realmente realizá-lo em sua existência ediante desse chamado ele não titubeou e deu seu sim.

 Nos Estatutos da Comunidade Shalom existe um artigo do qualeu gosto muito. É um artigo que o fundador dirige a nós, membros da Comunidadede Vida:

 “Devemos investir tudo – vida, capacidades, tempo, bens,potencialidades e futuro – em um seguimento total e incondicional do SenhorJesus, no espírito de pobreza, obediência e castidade, de acordo com CarismaShalom e com a forma de vida de cada um. Na Comunidade de Vida, nossarealização não estará mais naquilo que o mundo (cf. 1Jo 2,15-17) pode oferecer,mas estará exatamente na renúncia a tudo isso, para uma dedicação plena a Deuse ao serviço de Sua vinha.” (ECCSh, art. 61)

 O nosso fundador é muito claro: “Na Comunidade de Vida,nossa realização não estará mais naquilo que o mundo pode oferecer, mas estaráexatamente na renúncia a tudo isso…” A minha realização não está naquilo queo mundo pode me oferecer, mesmo sendo coisas lícitas e belas, mas eu me realizoem renunciar a tudo o que o mundo pode me propor de bom para seguir ao Senhor.

 Foi exatamente isso que João fez. Ele entendeu que os seusprojetos e sonhos, embora lícitos e belos, diante do chamado de Jesus não eramnada e assim, ao contrário do jovem rico, escolheu seguir ao Senhor.

 E você, qual o tipo de jovem que você quer ser?


Comentários

Aviso: Os comentários são de responsabilidade dos autores e não representam a opinião da Comunidade Shalom. É proibido inserir comentários que violem a lei, a moral e os bons costumes ou violem os direitos dos outros. Os editores podem retirar sem aviso prévio os comentários que não cumprirem os critérios estabelecidos neste aviso ou que estejam fora do tema.

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *.

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *