Formação

Viver o Batismo no hoje da história

comshalom

por Antônio Marcos
Missionário da Comunidade Shalom

Interessa-nosmuito compreender a missão da vida cristã frente aos desafios e àsnovas necessidades dos nossos tempos. Não se nega a tentativa de seconstruir um Estado cada vez mais secularizado, "laico", e sem ter comoreferência os valores éticos, morais e cristãos, comprometendo assim aprópria estabilidade moral da nossa sociedade. Da mesma forma a missãoda religião parece encontrar obstáculos "intransponíveis". A religiãopassa a ser admitida unicamente como qualquer experiência à parte semnenhuma participação na vida concreta das pessoas.

 

Asquestões éticas, por exemplo, não podem ficar fora das nossasreflexões, muito menos das nossas ações concretas. O testemunho docristão precisa adentrar nas áreas mais desafiantes da sociedade,inclusive na Política. Não se trata agora de propor uma "teologiapolítica, socialista, revolucionária" como pregou o filósofomaterialista Karl Marx. O Papa Bento XVI fala do fracasso do Marxismo efaz uma proposta salutar: "Na difícil situação em que hoje nosencontramos por causa também da globalização da economia, a doutrinasocial da Igreja tornou-se uma indicação fundamental, que propõeválidas orientações muito para além das fronteiras eclesiais" (Deus Caritas Est, 29).

 

Aproclamação da verdade é uma expressão do amor e é missão nossa(batizados) responder aos questionamentos do mundo numa ótica cristã. A"justiça humana" é, primeiramente, uma preocupação Política, masprecisa levar em consideração a Ética Cristã, por ter ela o homem como"centro" (não na dimensão de um "antropocentrismo", ou seja, umavalorização do homem sem a referência à Verdade Absoluta que é Deus. Aisso se pretendia o Marxismo e antes ainda o "Iluminismo do séculoXVIII", com a supremacia da Razão).

 

Acatequese ou mesmo o estudo acadêmico da fé como reflexão e experiênciavital de Deus, devem iluminar e redirecionar a vida do homem e dasociedade para o conhecimento da Verdade e a vivência dos ValoresAbsolutos. O ponto de partida é o acontecimento da Revelação (O doceabaixar-se de Deus, através da vida do Seu Filho, no abismo da misériado homem, cf. Fl 2, 6-11). Cristo veio libertar e salvar o homem do seupecado, "torná-lo uma nova criatura" (2 Cor 5,17). O Deus de JesusCristo é um Deus trinitário, encarnado e próximo do homem. Portanto,tudo o que diz respeito ao homem diz respeito a Cristo que veio fazerunicamente a vontade do Pai (cf. Hb 10, 7.10). Todas as formas eideologias de morte que atentem contra a vida humana comprometem assimtodo o projeto de felicidade que pensou Deus para o homem.

 

Nestesentido, os problemas sociais não podem estar dissociados da nossavida. Mas lembremos sempre que somos homens de fé, antes de qualqueratividade política. A Política é um dom de Deus concedido aos homens emvista de uma nobre missão. Antes de tudo o cristão deve deixar que a féconfigure o seu agir humano para que suas decisões políticas sejamdesligadas de ideologias e interesses egoístas, mas vise o bem comum ea construção incondicional da dignidade humana. A fé é onosso distintivo e essa fé não se trata de uma alienação, mas de umarelação com uma Pessoa viva: Jesus Cristo, Senhor e Salvador do homem,o único que pode realizar plenamente o homem e conduzir a humanidade àsua vocação, reconhecer o seu criador e glorificá-Lo. Nossa fé éintrinsecamente eclesial. Mesmo a fé exigindo a opção pessoal e o plenouso da liberdade, ela precisa ser a fé da Igreja, pois seu fundamentoestá em Jesus Cristo, cabeça da Igreja. Daí ser salutar que o papatenha proposto a via da Doutrina social da Igreja como caminho seguropara se pensar numa construção de uma sociedade à luz da Verdade cristã.

 

Frenteaos desafios contemporâneos, principalmente no que diz respeito à"Biotecnologia" (Genética) com a sua gama de questões éticas e morais,vemos o caráter profético da vida cristã – como "Fé da Igreja" – agir eentrar na defesa da "inviolabilidade da Vida" ("sacralidade" da vidahumana desde a sua concepção até o seu declínio natural). Isso deve serpara cada um de nós batizados, motivo de reflexão, questionamentos eevangelização, anúncio da Verdade Absoluta, que é Cristo. Certamenteera assim que acontecia na Igreja nascente, daí o testemunho que prestaas "Atas dos Mártires" e do testemunho dos "Padres da Igreja" com ocaráter "apologético da Fé" (Defesa da Fé). Ensina o concílio VaticanoII: "A Igreja é perita em humanidade" (cf. Paulo VI, Discurso na ONU,1965), portanto, ela pode – através da sua Comunhão com Deusmanifestada por meio das Sagradas Escrituras, da Sagrada Tradição e davida Sacramental – oferecer ao homem de hoje e aos de sempre, respostasàs suas dramáticas questões éticas e morais. Além disso, ela sabeconduzir o homem até Cristo. Este é o único interesse da Igreja nestemundo: fazer o homem encontrar e experimentar do amor de Deus eajudá-lo na sua conversão, na sua mudança de vida e sua vida no serviçoe na Caridade. Já dizia o grande filósofo e teólogo, Santo Agostinho:"Fizeste-nos para Ti, Senhor, e o nosso coração não é feliz enquantonão repousa em Ti" (Cf. Livro Confissões I, 1,1). Esta é a meta da busca de cada homem: descansar no coração misericordioso de Cristo!

 

"Quem verdadeiramente encontrou Cristo, não pode guardá-lo para si; tem de anunciá-lo" (cf. João Paulo II, NMI, 50).Uma nota da CNBB fala bem do que aqui refletimos: "Viver em Cristo énão se acostumar e nem se acomodar às estruturas injustas da sociedade,mas transformar o próprio jeito de pensar e de agir, discernindo o queé bom e agradável a Deus na busca constante do processo de conversão.(…) Cristo é o caminho; segui-lo, significa buscar a vida plena,realização do Reino. (…) A sociedade precisa de homens e mulherescapazes de fundamentar eficazmente, em nome da ética cristã, atitudes epráticas que superem o oportunismo, o utilitarismo, a arbitrariedade, aperversidade e o egoísmo".

 

Épela via do testemunho na Caridade da força do Evangelho que devemoscaminhar. Viver o nosso Batismo é mostrar que o Cristianismo não é um"código de normas", mas beleza, alegria e semente de transformaçãopessoal e coletivamente. Que seja o nosso Batismo "uma grande profeciano amor" em todos os âmbitos onde convivemos, na vida da nossasociedade, na Família, nas dores e esperanças do homem. Assim seja!




Comentários

Aviso: Os comentários são de responsabilidade dos autores e não representam a opinião da Comunidade Shalom. É proibido inserir comentários que violem a lei, a moral e os bons costumes ou violem os direitos dos outros. Os editores podem retirar sem aviso prévio os comentários que não cumprirem os critérios estabelecidos neste aviso ou que estejam fora do tema.

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *.

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *