Institucional

Vocacional: O que você nasceu pra ser?

comshalom

foto1O que você quer ser quando crescer? A pergunta é clichê, mas a resposta pode ser tão diferente quanto o rosto do brasileiro.

A verdade é que nós nascemos e morremos querendo responder tal questionamento. Porém, muitas vezes, queixamos não ter tempo para pensarmos numa solução. Thanks Globalization! Assim caímos no erro de dar respostas rasas, sentimentais e blá blá blá. Isso tudo poderia ser diferente, caso mudássemos um pouco a pergunta. Talvez colocando: “O que você nasceu pra ser?”− Poderia ser mais adequado.

Para tentar resolver este questionamento, vários jovens de diferentes cidades mineiras se reuniram no Centro de Evangelização Shalom, dia 8 deste mês, para o Encontro Vocacional Aberto − um dia inteiro de conversa, louvor e adoração a Deus.

Ora, eles queriam entender por que o nascimento é um sinal concreto de que temos algo para dar ao mundo. E compreender, sem precisar ir a uma palestra motivacional, que nós temos, sim, um chamado intrínseco capaz de transformar a nós e ao outro: Vocação.

A vocação não é algo distante de nós, é a nossa essência. Todos nós, como nos diz o profeta Isaías, somos eleitos “desde o ventre materno” (Is 49,1), e esse chamado nos completa. Foi Deus que nos escolheu e nos chamou a uma vocação específica, por isso, o fim último de quem segue esse chamado é a felicidade, que é o próprio Deus.

Ser Shalom, por exemplo, é uma vocação. Magnífica vocação, como completaria Moysés Azevedo, fundador da Comunidade, que está inscrita em muitos corações espalhados pelo mundo. Descobrir a sua vocação é descobrir, pois, o caminho para a pergunta base deste texto.

BH1

Assim, no decorrer do dia, os jovens ouviram sobre o que era Vocação, o ser Shalom, a Comunidade de Vida e de Aliança e muito mais. Eles foram saber que o Vocacional Aberto é excelente meio para conhecer a vontade de Deus para as suas vidas.

Para Francisco Alcântara, o encontro foi de grande valia: “Para mim, o vocacional tá excelente. O vídeo sobre o vocacional, tudo muito bom. Era o que eu precisava ouvir. A adoração, então… eu perguntei a Deus e veio um irmão e falou isso, aquilo. Enfim, muito bom”. Nayara Christina também aprovou o evento, apesar do receio que ela tem de caminhar neste ano no vocacional: “Eu tô achando bom. Não sei se vou conseguir”.

Quem já passou por esse tempo de discernimento sabe que ele realmente abre espaço para esses extremos. Mas os frutos vêm inevitavelmente, pois é um período pautado na vontade de Deus. É o caso de Catherine Almeida, postulante da Comunidade de Vida em BH: “Eu fiz o vocacional porque Deus me pedia mais comprometimento com Ele. O vocacional para mim foi muito bom, porque eu me conheci e conheci a Deus”.

É por isso e muito mais que este encontro é fundamental para nós, shalomitas, pois renova em nós a vocação dada por Deus. Como confirma Vitor Monteiro, membro da Comunidade de Vida: “Eu me sinto, sim, renovado, pois percebo que é uma vocação viva, jovem e atuante na Igreja. Quando vejo essas pessoas que vieram ao vocacional, me dá forças para continuar minha caminhada”. Já para Gabriel Medeiros, membro da Comunidade de Aliança, é um momento de relembrar o “sim” dado há tempos. “Sinto-me renovado porque eu me vejo neles. Alguns vêm com dúvidas muito parecidas com as que tivemos e tudo isso gera em nós essa renovação”.

De fato, é um ciclo harmônico e cheio de sentido para nós, terráqueos. Afinal descobrir que “Ser todo teu é minha alegria e minha paz” é o que há de melhor. Então, que tal esse ser o tema do vocacional 2015 dos futuros vocacionados do Shalom de Belo Horizonte e de todas as outras missões? Top!

Para terminar, sabemos que esse papo de vocação é longo e que a pergunta − “O que você nasceu pra ser?”− ainda trará muitos jovens ao Shalom ou a outros lugares onde se trilha um caminho vocacional ou, até mesmo, jovens que escolham não responder a esta pergunta. Mas o que nós queremos dizer é: busque conhecer o chamado de Deus para a sua vida, mas não como alguém que quer se livrar das dúvidas, mas como uma criança que quer descobrir qual o seu super poder e, enfim, ajudar no exército de Deus.

Duração do Caminho Vocacional: 1 ano. Tendo participado do encontro vocacional aberto, o segundo passo será fazer o plantão vocacional, no qual você será acompanhado por um missionário da Comunidade e discernirá se este é o tempo de trilhar o caminho vocacional Shalom.

Encontros: mensais. O intuito é aprofundar o chamado por meio de uma vida de intimidade com Deus, através do itinerário espiritual e formativo da Comunidade, o Caminho da Paz, mergulhando no conhecimento do Carisma Shalom, no ser Igreja, na missionariedade e na vivência da vida fraterna.

Telefones: 2555-3316
E-mail: vocacionalbh@comshalom.org

 

Edição: Emanuele Sales


Comentários

Aviso: Os comentários são de responsabilidade dos autores e não representam a opinião da Comunidade Shalom. É proibido inserir comentários que violem a lei, a moral e os bons costumes ou violem os direitos dos outros. Os editores podem retirar sem aviso prévio os comentários que não cumprirem os critérios estabelecidos neste aviso ou que estejam fora do tema.

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *.

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *