Notícias

Voluntários de projetos do Shalom contam experiências marcantes com os pobres

Neste dia, o comshalom traz alguns voluntários para falar sobre suas experiências em projetos desenvolvidos pela Assessoria de Promoção Humana da Comunidade Católica Shalom.

comshalom

Ser voluntário é um ato de livre e espontânea vontade, é também expressão de caridade. Aqueles que se oferecem para fazer algum serviço de forma gratuita, sem esperar nem mesmo reconhecimento, desejam apenas fazer o bem. E aqueles que são alcançados pelas ações dos voluntários só tem um sentimento: gratidão. Neste dia, o comshalom traz alguns voluntários para falar sobre suas experiências em projetos desenvolvidos pela Assessoria de Promoção Humana da Comunidade Católica Shalom.

Magguiane Mereth, consagrada da Comunidade de Aliança, coordena atualmente o Programa de Voluntariado Shalom, da Assessoria de Promoção Humana. De acordo com a missionária, o PVS é baseado na cultura do encontro, apresentada e estimada pelo Papa Francisco. “O voluntário vai ao encontro do pobre e faz um encontro com Deus no pobre”, ressalta Magguiane. Ainda segundo a coordenadora, os voluntários são de extrema importância para alcançar os pobres de forma completa (espiritual, material, moral, etc.). 

“Muitas vezes a gente vai para uma ação com o desejo de dar algo para os pobres, mas os pobres acabam nos dando muito mais. Todos que fazem essa experiência retornam para suas casas diferente” (Magguiane Mereth)

“O PVS tem duas modalidades”, explica a coordenadora. A primeira consiste nas expedições em que os voluntários partem para realizar trabalhos em Chaves, no estado do Pará, e em Madagascar, país localizado no continente africano. A outra modalidade consiste no Shalom Amigo dos Pobres que realiza diversas ações para pessoas em situações de rua em cidades brasileiras e também fora do País. Magguiane Mereth revela ainda que, em breve, uma nova modalidade será lançada para ir ao encontro de um público específico.

Quando esqueci de mim fui feliz

O militar da Marinha do Brasil Wellinghton Machado participou de duas experiência com o Programa de Voluntariado Shalom, uma em Chaves e outra em Madagascar. “Deus me revelou me levou a dois lugares distintos para mostrar a diversidade de pessoas, povos e culturas que aguardam ansiosamente essa manifestação dos filhos de Deus, do ser missionário”.

“Fui extremamente feliz em cada experiência com as realidades que toquei nas expedições, tanto no material em Madagascar, como no sacramental em Chaves onde visitei a população ribeirinha” (Wellinghton Machado)

Wellinghton, que saiu de Niterói para realizar essas ações, conta ainda que teve a oportunidade de testemunhar o Evangelho com a própria vida, “gerando o questionamento de um jovem com 25 anos que abre mão de diversas coisas que o mundo oferece para corresponder a um chamado que Deus faz, um jovem que se abandona”. O voluntário afirma: “A certeza que eu tenho é que quando esqueci de mim fui feliz”.

Só o amor de Deus por mim explica a missão

A seguir, leia o testemunho do engenheiro Charles Ribeiro que, assim como Wellinghton, esteve nas expedição realizadas pelo Programa de Voluntariado Shalom.

Só o amor explica a missão. Foi esse lema, bem na entrada da sala da casa que nos recebia, que no primeiro momento me chamou a atenção. Mal podia esperar pra que Deus, na sua infinita misericórdia por mim, fosse pouco a pouco, dia a dia, me fazendo perceber que somente esse amor, tão manifesto no outro, é capaz de escancarar a sua face nas mais diferentes dimensões.

O AMOR na vida daqueles, que como eu, estavam ali ofertando sua vida e a cada dia irradiando, por meio de sua doação, de seu sorriso, de seu acolhimento, de seus talentos, de suas lágrimas, de seus testemunhos e de sua oração a própria face do Pai. O AMOR na vida desses irmãos da missão Shalom de Madagascar. Impossível não ver em cada um deles a face do Espírito Santo. Pessoas fortes que na intensidade desse amor doado combatem o bom combate e levam no seu dia a dia um fio de esperança ao povo tão sofrido de Madagascar.

O AMOR de Jesus manifestado no sofrimento desse povo de Madagascar que não tem nada. Não tem água, não tem esgoto, não tem Estado presente, não tem escola, não tem educação, não tem dignidade. Esse povo que habita quase que a céu aberto, Esse povo que talvez a dureza da vida tenha secado suas lágrimas mas que continua lutando com um sorriso nos lábios. Nessa vida estão a levar a semente a aspergir na esperança de que um dia voltarão com seus feixes carregados.

Esse foi o amor que representou a face de Jesus. Nas crianças, nos idosos, nos doentes. Esse amor que me constrange, que me dá um nó na garganta, que me corrói por dentro. No olhar, no sorriso, na miséria, na falta de tudo, encontrei um Cristo que insiste em me amar. E ao final desses dias eu pude então compreender exatamente que só o amor de Deus por mim explica a missão.

Ser voluntário é ser sacrário vivo de Cristo

A empresária Paloma Rodrigues, ao refletir sobre como Deus a conduzir ao Projeto Shalom Amigo dos Pobres, conta que foi percebendo que o chamado de um voluntário é ser sacrário vivo de Cristo. Ela partilha que o alimento levado a lugares como viadutos e becos é uma feliz desculpa para que Jesus chegue até àqueles que mais precisam de sua presença por meio dos voluntários. “Nós voluntários somos um sacrário vivo”, reforça Paloma.

“Ser voluntaria no Projeto Amigo dos Pobres é olhar para o pior, é visitar o pior, e de repente ver o melhor saindo… Você vê o ‘sim’ de uma pessoa que já cometeu erros e que acredita que Jesus não se importa com aquilo que ele fez, mas com aquilo que ele vai fazer” (Paloma Rodrigues)

“Jesus veio me fazer recordar que sou sacrário vivo para aqueles que têm problemas com a família, que têm desordens afetivas, que têm problemas com a justiça, nós voluntários nos deixamos conduzir pelo Espírito Santo e, como sacrário vivo, olhamos para eles com o mesmo olhar que Cristo olha, com misericórdia e com amor”, partilha. Ainda segundo a voluntária, é uma experiência de levar Jesus dentro de si para aqueles que não acreditam mais em nada, que perderam a esperança. E nesse movimento assistir ao vivo e em cores o milagre do Evangelho acontecer.

Mais informações

E-mail: volunteering@comshalom.org

Site: http://amigodospobres.org/


Comentários

Aviso: Os comentários são de responsabilidade dos autores e não representam a opinião da Comunidade Shalom. É proibido inserir comentários que violem a lei, a moral e os bons costumes ou violem os direitos dos outros. Os editores podem retirar sem aviso prévio os comentários que não cumprirem os critérios estabelecidos neste aviso ou que estejam fora do tema.

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *.

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

  1. Gostaria de seguir o perfil da Paloma Rodrigues no Instagram. Eu ri e chorei com o testemunho dela no workshop no Congresso Shalom. Me senti muito motivado para conhecer o projeto. Sou fernando do GO Benjamin PMN da missão do Rio de Janeiro.