Notícias

5 reflexões de Emmir Nogueira sobre a cura das relações na família

“O amor vencerá tudo” é o tema do Congresso das Famílias 2021, que começou nesta manhã de sábado (26). A primeira pregação foi da cofundadora da Comunidade Católica Shalom, sobre a cura dos relacionamentos.

comshalom

O Congresso das Famílias começou na manhã deste sábado (26), com a Oração das Laudes, presidida por Padre Douglimar, consagrado da Comunidade de Vida. Em seguida Emmir Nogueira, cofundadora da Comunidade Católica Shalom, pregou sobre o tema “Curando as relações”, baseado nos capítulos IV e VI da Amoris Laetitia, e pela leitura bíblica de Gênesis 2, 23.

Todos nós precisamos de cura, e dentro do matrimônio, somos chamados a um amor divino, que leva a oblação, a um sair de si para a doação ao outro. E só é capaz viver assim com a graça do Espírito Santo, que é o santificador das relações. Precisamos antes, saber qual o desejo de Deus para o relacionamento conjugal, estar abertos à caridade entre os esposos. Não somos capazes de um amor total, porém com o poder do Espírito Santo, nosso amor humano é divinizado.

1 – Duas criaturas serão apenas uma

Somente Deus pode transformar duas criaturas, duas carnes em uma só. Isso só acontece pelo poder do Espírito Santo. Um é auxílio divino para o outro, eles se complementam. Agora, um só, são capazes de amar, de receber de alguém que é semelhante a si. Deus faz o homem ser quem realmente é pela presença da mulher, e vice versa.

O homem procurava complemento, não sabia que era chamado algo mais do que a cultivar a terra. Ele, que foi criado por amor e para amar, e não achava correspondência nos animais e nas plantas, ao ver a mulher que Deus criou, se tornou capaz de amar alguém igual. Deste modo, consegue deixar pai e mãe, e se tornar alguém que é capaz de responder por si mesmo, que sabe que vive para o amor. Une-se a sua mulher, pois encontra sentido e assim se tornam uma só carne.

O homem e sua mulher estavam nus e não se envergonhavam, não tinha o pecado original, eram uma só carne, se reconhecem um no outro, ele é tão ela e ela tão ele. Nota-se o amor, tão perfeito e sem manchas do pecado, que nem percebiam que estavam nus, pois se reconheciam um no outro. Não havia divisão nem de corpo, nem de mente, nem de espírito.

2 – O homem foi criado para amar

É o cumprimento da razão de ser do homem. A pessoa humana foi criada para amar. Sem ter uma outra pessoa, o ser perde a razão de ser. O homem reconhece no outro uma parte dele mesmo.

O próprio Deus quer te elevar a um amor maior do que o amor entre irmãos, coisas, animais ou plantas. O Pai quer te elevar a um amor abençoado.

Você deve dizer, ao dizer ‘sim’ à vocação do matrimônio!

Deus me trouxe esse homem/ essa mulher e eu me reconheço nele, um complemento para mim. Me casei para viver o amor na Trindade, o amor do Espírito Santo -Deus nos chama a um amor mais elevado. 

3 – O amor humano se torna divino

No sacramento do matrimônio, recebe-se um novo batismo no Espírito Santo que une os dois para uma nova missão.  Com a junção do amor eros e ágape. Esse mesmo amor de Jesus, que veio para santificar, é dado no matrimônio. 

Não podemos amar perfeitamente, mas com o amor de Deus que é o Espírito Santo, por isso, me torno capaz  de amar  com caridade perfeita o outro. Por causa do Amor de Deus, todo homem e toda mulher, em matrimônio, são capazes e chamados a amar com caridade perfeita.

4 – Somos reflexos da Trindade

O ato conjugal faz parte do processo de santificação do estado de vida no matrimônio. Por causa do Amor de Deus, todo homem e toda mulher em matrimônio são capazes de amar com a caridade perfeita. O Espírito Santo, no sacramento do matrimônio é derramado para serem no mundo reflexo da trindade, e viver o amor que é dom, graça vinda do Espírito Santo.

No primeiro ato conjugal concretiza-se o matrimônio, e este marco é o início do processo de santificação que perdura pela vida inteira. O processo de santificação leva a vida inteira e serve à glória de Deus. Torna o amor uma doação ao outro, de esquecimento de si pelo outro. O que santifica é o amor ágape que ama não só como parceiro e amigo, mas que ama como inimigo (no sentido, daquele se opõe ao que eu quero). Somos chamados, no matrimônio, ao longo de toda a vida, a amar alguém que pode ser meu maior amigo, e após minutos ser meu maior inimigo. Um vai se adaptando ao outro, e com o tempo vai se consolidando.

Mesmo o amor humano encontrando limites, o amor divino continua a subir. E o amor divino puxa o amor humano para cima, diviniza esse amor humano. Assim cresce o amor conjugal, capaz de refletir a Trindade, no amadurecimento se vive um amor maior, em uma união oblativa que tudo suporta, tudo acredita, tudo espera e tudo crê.

5 – Senhor, sou eu que preciso de cura!

Se vivemos para Deus, se rezamos, nos vemos incapazes de corresponder sempre com caridade ao que nos acontece e, assim, entendo que tenho feridas que precisam ser curadas. Logo, quem precisa de cura, sou eu! 

Às vezes exigimos comportamentos, somos egoístas e centralizados em nós, exigimos do outro algo que ele não pode dar. O amor vem aí, em não exigir. O casamento é lugar de sacralidade e santidade e não de mundanidade, é local de relacionamento que sai do natural para o sobrenatural. Deus espera de nós a santidade. Quando vivemos na expectativa, estamos nos afastando da santidade. Acredite, Deus te deu esta pessoa, para te confiar a missão de  serem santos.

Só consegue tudo crer, suportar e esperar quem diz ‘não eu, Senhor, mas Tu’. Nesse momento recebe a graça da caridade de Deus.

“Até aqui o Senhor me sustentou, amo meu marido (minha esposa) com amor unificado, sem amor bobo e romântico, eu amo com um amor divino, que aumenta com o tempo e o amor humano vai se estabilizando à medida que o amor divino toma conta. O amor divino diviniza o amor humano”.

Ainda dá tempo de participar do Congresso das Famílias 2020

Não fique de fora desta grande oportunidade de participar de um final de semana tão enriquecedor, inscreva-se já e convide outras famílias para participarem com você!

Serviço

Serviço: Congresso Latino-Americano das Famílias 2021 
Data: 26 e 27 de junho de 2021
Horários: das 9h às 12h (todos os dias), com webinários exclusivos para os assinantes no período da tarde.


Comentários

Aviso: Os comentários são de responsabilidade dos autores e não representam a opinião da Comunidade Shalom. É proibido inserir comentários que violem a lei, a moral e os bons costumes ou violem os direitos dos outros. Os editores podem retirar sem aviso prévio os comentários que não cumprirem os critérios estabelecidos neste aviso ou que estejam fora do tema.

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *.

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *