Shalom

Assessor Jovem da Comunidade Shalom conta sobre sua experiência com a vida de Ronaldo Pereira

“Dentre os muitos frutos que Ronaldo deixou para os jovens, posso contemplar a decisão firme e radical pela santidade. Jovens que se espelham nele, querem ser santos com a graça de Deus, querem se decidir pela santidade no auge da juventude, sem esperar o amanhã para amar a Deus e aos outros jovens.”

comshalom

Bertrand Wadi, natural da República Democrática do Congo, é missionário na Comunidade Católica Shalom. Em outubro de 2019, no Congresso de Jovens Shalom (CJS), ele assumiu a liderança da Assessoria Jovem. Agora ele tem a missão de comunicar o carisma para os jovens do mundo inteiro.

Ontem (17/02), Bertrand visitou o túmulo de Ronaldo Pereira, jovem que ofertou a sua vida como consagrado da Comunidade Católica Shalom e morreu no ano de 1995, neste mesmo dia, em um acidente de carro. Ronaldo é para os jovens da Comunidade um grande sinal de juventude ofertada em missão.

Em entrevista ao comshalom.org, Bertrand falou sobre a importância do exemplo da vida de Ronaldo para os jovens que hoje desejam cumprir, com coragem, a vocação que Deus lhes confiou.

Confira, na íntegra.

Quais os frutos que Ronaldo deixou para a Juventude Shalom que você pode contemplar como coordenador do Projeto Juventude para Jesus hoje?

Bertrand Wadi: Dentre os muitos frutos que Ronaldo deixou para os jovens, posso contemplar a decisão firme e radical pela santidade.

Jovens que se espelham nele, querem ser santos com a graça de Deus, querem se decidir pela santidade no auge da juventude, sem esperar o amanhã para amar a Deus e aos outros jovens.

Outro fruto que Ronaldo deixou como legado, foi o protagonismo na evangelização de outros jovens. Muitos membros da Obra hoje tocam isso na vida de Ronaldo Pereira: o jovem Shalom o é protagonista na evangelização dos outros jovens.

Por que um Jovem pode ter a vida de Ronaldo como inspiração?

Bertrand Wadi: O jovem pode ter a vida do Ronaldo como inspiração porque ele primeiro amou muito a Deus, acima de todas a coisas. Por isso ele amou a Igreja: porque amou a Jesus. E pele amou os jovens do mundo inteiro porque amou a Igreja.

Ele é uma inspiração porque soube usar muito bem os dons que Deus o deu. Ele soube usar todas as características de um jovem: o ardor, o fervor, a intensidade, tudo para amar a Deus, para amar os homens e as mulheres, para amar os jovens…

Ele soube viver as coisas de Deus, sendo jovem com toda a intensidade e radicalidade.

Ontem (17/02), você visitou o túmulo onde esse jovem foi sepultado. Como foi essa experiência?

Bertrand Wadi: Ao visitar o túmulo do Ronaldo, eu tive uma experiência muito forte com o sentido da oferta de vida, que deve ser total, que deve ser radical, que deve ir até o fim.

A minha oferta não deve estar limitada ao tempo, não deve ser limitada às circunstâncias terrenas, mas deve ser uma oferta de amor a Deus que deve ecoar no céu, que deve apontar o céu, que deve apontar a vida de Cristo.

A minha oferta deve ser configurada à vida de Cristo que abraçou a cruz, que amou até o fim. Eu tive a experiência do definitivo ao visitar o túmulo do Ronaldo.

Durante a visita, eu pedia a Deus que a minha oferta de vida não se condicionasse ao tempo de hoje e que ele me desse a graça de tudo dar, porque dele eu recebi tudo. Eu desejo que esse tudo ofertar seja até o fim.

Mas afinal, qual foi o legado que esse jovem deixou?

Bertrand Wadi: O diferencial da vida do Ronaldo foi a sua violência de coração, que fazia com que ele buscasse sempre as coisas de Deus, as coisas do alto.

Ronaldo não media esforços para viver a radicalidade evangélica. E mesmo na dor, ele não deixava de desejar o céu. Ele não perdia a oportunidade de viver a ascese, a mortificação em vista do outro, em vista da Comunidade, em vista dos jovens… isso foi um grande diferencial de sua vida.

Mesmo jovem, ele disse não às coisas do mundo, abraçando a vida da violência de coração. E a gente sabe que o Reino de Deus é dos violentos de coração.

Para mim, mim o Ronaldo me ensina o caminho da paternidade espiritual que está fundamentada em uma profunda experiência com o amor de Deus, em uma experiência profunda com o Carisma e em uma profunda confiança nos jovens.

Se o Ronaldo quis dar a vida, se ele quis derramar o seu sangue até a última gota pelos jovens, é porque ele acreditava neles. Ele acreditava que quando os jovens se decidem pela santidade, são capazes de incendiar o mundo, o meio onde estão inseridos, são capazes de transformar com o amor de Deus e com as suas vidas, o lugar onde se encontram.

Ronaldo confiou intensamente nos jovens, e isso para mim é um legado muito forte que ele deixou: a confiança, a renovada esperança nos jovens, esse olhar de esperança, esse olhar que traz um novo ardor para os jovens do mundo inteiro.


Comentários

Aviso: Os comentários são de responsabilidade dos autores e não representam a opinião da Comunidade Shalom. É proibido inserir comentários que violem a lei, a moral e os bons costumes ou violem os direitos dos outros. Os editores podem retirar sem aviso prévio os comentários que não cumprirem os critérios estabelecidos neste aviso ou que estejam fora do tema.

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *.

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *