Notícias

Consagrada do Shalom conta como é ser missionária na África

“Desafiante e encantador”, define Benivalda Carvalho.

comshalom

Benivalda Carvalho chegou a Lubango, na Angola, em dezembro de 2018. “Morar na África é muito desafiante e também muito encantador”, avalia a missionária que completa um ano de serviço naquela cidade junto a outros missionários.

Lubango é o município mais populoso da Província de Huíla, com mais de 700 mil habitantes. “Angola é um país que sofre pela grande desigualdade social, com uma população composta majoritariamente por jovens e criança que vivem em situação de pobreza extrema”, explica Benivalda.

Contudo, a missionária explica que a conjuntura de miséria não extingue o senso de partilha e respeito. “Cada dia experimentamos da solidariedade e companheirismo destes nossos irmãos. Aqui tudo é feito com alguém: comer, trabalhar, brincar, caminhar, sorrir, sofrer, chorar; tudo é entrelaçado pela partilha”, ressalta.

População Angolana é marcada pela extrema pobreza. Foto: arquivo Missão Shalom Lubango.

Nós nunca estamos sós

“Nós missionários Shalom, vamos a cada dia experimentado a graça deste ‘nunca está sozinho’, nós nunca estamos sós. Aliás, eu nunca teria coragem de vir em missão sozinha, preciso de irmãos, preciso de pais, mães que  me acompanhem. Nenhum Shalomita vive sozinho. É impossível viver o carisma sem irmãos”, testemunha Benivalda.

Um dos trabalhos desenvolvidos pela Missão do Shalom naquela cidade é a evangelização de casa a casa. “Nestas evangelizações fazemos profundas experiências de tocar em Jesus pobre, pois entramos em contato com a pobreza e miséria humana”, conta Benivalda que há 21 anos é missionária.

“Também testemunhamos atitudes de grande coragem do pobre que nunca desiste da vida. Esta semana, por exemplo, entramos em um casebre, sem nenhum móvel, utensílio, comida, tinham apenas um pequeno fogareiro apagado, à espera de um milagre. A riqueza desta casa era a família”, relata.

Partilha e respeito em uma Missão que completa um ano de fundação. Foto: arquivo Missão Shalom Lubango.

Benivalda acredita que a Evangelização naquela cidade deve ser marcada pela compaixão, ensino, formação de grupos e o repasse de que eles são os protagonistas de um novo tempo. “Nosso alvo, primeiramente, são os jovens, e como é belo perceber os seus anseios, desejos e sonhos. Eles em nada são diferentes dos jovens europeus ou americanos; o que difere é a pobreza, ou melhor, a miséria em que vivem. Todavia, não obstante tanta pobreza, o caos urbano, as drogas, a falta de perspectivas, etc.  Vejo um povo que sorri, dança, partilha, ensina. Jovens, negros lindos, vaidosos, sedentos de viver e aprender”, finaliza.

No Brasil

Atualmente cerca de 54 missões da Comunidade Católica Shalom desenvolvem ações sistemáticas de Promoção Humana. A maioria delas atuam na evangelização em lugares carentes, hospitais e centros socioeducativos. Além disso, a Comunidade dispõe de projetos em 9 cidades: Itapipoca, Fortaleza, Natal, Senhor do Bonfim, Sobral, Aracaju, São Luiz, Rio de Janeiro e Juazeiro do Norte.

Os Projetos de Promoção Humana atuam com públicos distintos e são eles: as crianças em situação de vulnerabilidade social (Projeto José do Egito), pessoas em situação de Rua (Projeto Jesus Meu Abrigo) e dependentes químicos (Projeto Volta Israel).

Você pode colaborar diretamente nestes projetos fazendo uma doação agora mesmo, através do site  comshalom.org/benfeitordapaz


Comentários

Aviso: Os comentários são de responsabilidade dos autores e não representam a opinião da Comunidade Shalom. É proibido inserir comentários que violem a lei, a moral e os bons costumes ou violem os direitos dos outros. Os editores podem retirar sem aviso prévio os comentários que não cumprirem os critérios estabelecidos neste aviso ou que estejam fora do tema.

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *.

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *