Mundo

Cristãos no Oriente Médio rechaçam unanimemente uma intervenção militar na Síria

siriaAs comunidades cristãs no Oriente Médio expressaram unanimemente o seu rechaço à incursão militar na Síria que estaria planejando realizar os Estados Unidos, Grã-Bretanha e França com o apoio da Turquia e da Liga Árabe, após a utilização de armas químicas pelo presidente, Bashar Al Assad, no conflito que já leva mais de dois anos sem solução.

Para os cristãos, esta atitude não solucionaria a guerra e só ocasionaria ainda mais problemas, conforme assinalaram diferentes autoridades religiosas em entrevistas concedidas a vários meios de comunicação internacional.

O diretor do Mosteiro de Deir Mar Musa, ao norte de Damasco (Síria), Padre Jacques Mourad, disse à Agência Fides que “nos encontramos em uma fase de extremo sofrimento. (…) Esperamos que os países ocidentais assumam uma posição justa ante esta tremenda crise síria. A postura correta é rechaçar qualquer tipo de violência, deter as armas, não colocar uns contra os outros, defender e proteger os direitos humanos”.

O mosteiro foi fundado pelo sacerdote jesuíta, Paolo Dall’Oglio, que foi sequestrado faz um mês em Raqqa. Atualmente não há notícias do presbítero.

A Irmã Houda Fadoul, explicou à mesma agência que “não podemos aceitar ou apreciar uma intervenção armada das potências estrangeiras. Continuamos com a nossa missão, que é a de elevar a Deus um culto espiritual, sobretudo, para educar os jovens no diálogo e na paz”. 

O patriarca siro-católico, Youssef III Younan, declarou ao site terrasanta.net que em vez de ajudar a que se encontrem caminhos para a reconciliação e para o diálogo, “estas potências apenas armaram os rebeldes, incitando à violência e envenenando ainda mais as relações entre sunitas e xiitas”.

O Custódio da Terra Santa, Padre Pierbattista Pizzaballa, expressou ao Franciscan Media Center que “as imagens que temos da Síria são atrozes, falam por si mesmas, (…) conhecendo o Oriente Médio, é muito difícil saber quem faz cada coisa. A comunidade política internacional deve encontrar soluções imediatas, através de pressões, para que tudo isto acabe de uma vez. Não acho que hoje na Síria haja gente que tenha razão e gente que não tenha razão. Quando se usa a violência todos se equivocam”.

O Patriarca Maronita, Béchara Rai, informou à Rádio Vaticano do Líbano que “tudo o que está acontecendo no Oriente Médio (tanto no Egito como na Síria ou no Iraque) é uma guerra que tem duas dimensões”.

Explicou que “no Iraque e na Síria, a guerra é entre sunitas e xiitas; no Egito a guerra é entre fundamentalistas, entre eles está a Irmandade Muçulmana e os moderados. São guerras sem fim, mas, sinto ter que dizer, há países, sobretudo ocidentais (mas também do Oriente) envolvidos”.

 

(Fonte: acidigital.com)


Comentários

Aviso: Os comentários são de responsabilidade dos autores e não representam a opinião da Comunidade Shalom. É proibido inserir comentários que violem a lei, a moral e os bons costumes ou violem os direitos dos outros. Os editores podem retirar sem aviso prévio os comentários que não cumprirem os critérios estabelecidos neste aviso ou que estejam fora do tema.

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *.

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *