Notícias

Curiosidades sobre o sacramento do Matrimônio

Padre Marcelo Sales, consagrado da Comunidade de Vida e autor do livro ‘Sacramentos e Liturgia” explica alguns fatos presentes no rito do sacramento matrimonial.

comshalom
(Imagem/ Wallace Freitas)

Para o Código de Direito Canônico de 1983, o Matrimônio é um sacramento, uma união indissolúvel em que os cônjuges se tornam uma só carne numa unidade espiritual e afetiva, e nenhum homem ou lei humana estão habilitados para desfazer esse vínculo.

Matrimônio como vocação

Catecismo da Igreja Católica parte de uma grande certeza para afirmar o caráter sacramental do matrimônio:

“A vocação para o Matrimônio está inscrita na própria natureza do homem e da mulher, conforme saíram das mãos do Criador. Deus, que criou o ser humano por amor, também o chamou para o amor, vocação fundamental e inata de todo ser humano, pois o homem foi criado à imagem e semelhança de Deus, que é amor. Tendo-os criado homem e mulher, seu amor mútuo se torna uma imagem do amor absoluto e indefectível de Deus pelo homem. Esse amor é bom, muito bom aos olhos do Criador. Este amor abençoado por Deus é destinado a ser fecundo e a realizar-se na obra comum de preservação da criação: Deus o abençoou e lhes disse: ‘Sede fecundos, multiplicai-vos, enchei a terra e submetei-a’” (CIC 1603-1604).

O sacramento do Matrimônio foi instituído por Jesus Cristo, que eleva a união entre marido e mulher. Em entrevista ao Comshalom, o sacerdote consagrado da Comunidade de Vida, Padre Marcelo Sales, autor do livro ‘Sacramentos e Liturgia’, detalhou sobre curiosidades presentes no rito sacramental do Matrimônio.

Leia também| O matrimônio na Vocação Shalom

“Deus cria o homem e a mulher, já os cria um para o outro, mas em Cristo, houve uma elevação na dimensão sacramental. Ou seja, além de receber uma graça própria em Cristo para vivenciar esta união, eles também são um sinal de uma realidade superior que é exatamente a realidade da união de Cristo e a Igreja”, explica o sacerdote.

Simbologias presente no rito

Durante todo o rito matrimonial, há vários símbolos e significados que envolvem em cada ato uma expressão do entendimento teológico da união de Cristo pela Sua Igreja. Marido e mulher são esta prefiguração. De acordo com o Padre Marcelo, “Cristo desposou a Igreja e essa união de Cristo pela Igreja é uma união total, uma doação total de Cristo por amor à Igreja até o sacrifício, até a morte de si mesmo. Neste olhar teológico, Cristo se une a Igreja nos fins dos tempos, na parusia, e assim, haverá a consumação da história”. 

Entrada do noivo:

Quando o noivo, pais e padrinhos entram fecham-se as portas da Igreja e, neste momento, há uma expectativa, o que simboliza exatamente a espera para o fim dos tempos. Já que no fim dos tempos vai acontecer a união entre Cristo e a Igreja. 

Abertura das portas, atraso da noiva e os pajens:

O ato penitencial antigamente acontecia no momento em que se fechava às portas da Igreja. Todos os presentes faziam um momento de arrependimento pedindo perdão a Deus, enquanto acontecia o atraso da noiva.

Quando as portas da Igreja se abrem, no rito do matrimônio, é relembrada a parusia. Por isso, entram os pajens, que são sinais dos anjos de Deus, da glória de Deus. Ou seja, até a vinda de Jesus, a parusia está presente no Matrimônio, no momento da abertura da porta.

Quando a porta da Igreja abre simboliza o fim dos tempos. O tempo que os fiéis têm para se arrepender é antes da abertura da porta. Por isso, o ato penitencial é feito antes da entrada da noiva. Depois que se abre a porta e a noiva entra é a celebração das bodas do Cordeiro, já houve o fim dos tempos, não há mais como se arrepender. É a hora da alegria para aqueles que são salvos por Cristo. 

O toque da trombeta e a entrada da noiva de branco: 

O tocar da trombeta ou dos clarins são a simbologia do anúncio da chegada da noiva (a Igreja) que encontra uma vida nova com a doação total do noivo (Cristo). Normalmente tem um efeito triunfal, causando um grande impacto e criando expectativa nos convidados e no noivo para a primeira aparição da noiva. 

A noiva vestida de branco expressa a Igreja e as trombetas que antecedem a entrada da noiva estão descritas no Apocalipse (cap. 6). No fim dos tempos se tocarão as trombetas anunciando a chegada do Cordeiro. Esses são alguns sinais que expressam esta realidade, o Matrimônio cristão é a união de Cristo com a Igreja que vai acontecer no fim dos tempos.

Não é o sacerdote que celebra o matrimônio

O celebrante do casamento não é o sacerdote, mas os noivos. O padre (bispo, diácono ou até mesmo o ministro leigo que possa ser delegado pelo bispo) assiste o sacramento, está testemunhando em nome da Igreja a união daquele Matrimônio. Quem celebra o Matrimônio são os próprios noivos. Porque as palavras sacramentais são ditas por eles.

Eduardo e Myldre, consagrados da Missão Fortaleza (Imagem/Sara Feitosa)

Todo sacramento tem a matéria e a forma, segundo a Teologia. A fórmula é o que se diz para sacramentar. Por exemplo, no Batismo a matéria é a água e a fórmula é “eu te batizo em nome do Pai, do Filho e do Espírito Santo”,  e o sacerdote vai derramando a água sobre a pessoa ou mergulhando nas águas. A matéria da Eucaristia é o pão e o vinho e a fórmula são as palavras que o sacerdote diz “tomai todos e comei isto é meu corpo que será entregue por vós”. 

Participe do Congresso das Famílias Shalom

No Matrimônio, a matéria são os noivos e a fórmula “Eu,  te recebo (nome do noivo/a) por minha esposa (meu esposo) e te prometo ser fiel, amar-te e respeitar-te, na alegria e na tristeza, na saúde e na doença, todos os dias da nossa vida”.  Quando o noivo e a noiva dizem isso, proferem a fórmula do sacramento do Matrimônio. Assim, os ministros do sacramento são os noivos.

Importância do sacramental do casamento

O casamento no civil é importante, inclusive é exigido esta união para se realizar o religioso. Mas o casamento civil, não é sacramental. É só uma união pública e social, mas que não tem valor religioso. O Matrimônio, por ser um sacramento, derrama uma graça divina particular para se viver todas as suas obrigações e deveres. Seja de amor, fidelidade, de uma união indissolúvel, por toda a vida, e também pelo compromisso de educar os filhos na fé católica. Tudo isso se recebe com uma graça para se corresponder às exigências do Matrimônio.

Qualquer estado de vida não é fácil de viver, por mais que haja o amor humano entre o homem e a mulher. Isso ainda não é suficiente para se levar a cabo o Matrimônio por toda a vida. É necessário uma graça de Deus e esta graça é exatamente o que fortalece os cônjuges e os capacita a viverem a união por toda a vida. 

Série Philippos ‘Liturgia e Sacramentos’

A Comunidade Católica Shalom lança o segundo livro da Série Philippos sobre liturgia e sacramentos. Na obra, o  padre Marcelo Sales, busca introduzir o leitor no universo do sagrado. Criada pela Assistência de Formação como um complemento ao Caminho da Paz, a Série Philippos tem o objetivo de produzir conteúdos doutrinários para os membros da Obra Shalom.

 Veja aqui o curso Liturgia e Sacramentos da série Philippos

Clique aqui e adquira o livro Liturgia e Sacramentos

Leia também| Unção dos Enfermos é só para quem está a ponto de morrer? 

Serviço

Congresso Shalom das Famílias 2022 – O amor na família: vocação e caminho de santidade

Quando: 25 e 26 de junho de 2022
Local: Fortaleza – CE
Inscrições: [link]
Valor: 
R$60,00 (1º lote promocional)

Você pode seguir o Instagram @familia.shalom e acompanhar as novidades. 


Comentários

Aviso: Os comentários são de responsabilidade dos autores e não representam a opinião da Comunidade Shalom. É proibido inserir comentários que violem a lei, a moral e os bons costumes ou violem os direitos dos outros. Os editores podem retirar sem aviso prévio os comentários que não cumprirem os critérios estabelecidos neste aviso ou que estejam fora do tema.

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *.

O seu endereço de e-mail não será publicado.