Shalom

Cursos de espiritualidade e Seminário de Vida no Espírito Santo marcam tarde do Renascer Sobral

comshalom

O Seminário de Vida no Espírito Santo e a programação de cursos de espiritualidade marcaram a primeira tarde de programação do Renascer Sobral neste domingo, 23, evento que segue até a terça-feira, 25, no Colégio Farias Brito

As pregações “Amor de Deus” e “Pecado e salvação” foram ministradas no palco central, respectivamente, pelos missionários da Comunidade Shalom Wedson Araújo e Civaldo Duarte. “Não importa o que aconteça, Deus vai continuar nos amando”, resume Wedson. “O pecado nos afasta da graça de Deus, mas o Senhor vai ao encontro do homem e o faz retornar”, destaca Civaldo.

Cursos de espiritualidade para aperfeiçoar o conhecimento de Deus

A programação do Renascer Sobral contou com dois cursos na tarde deste domingo, 23. O de Espiritualidade “Homem novo gerado pelo espírito” foi ministrado pelo missionário da Comunidade Shalom, Júnior Nogueira. O livro base do curso se chama “Virtudes: caminho de imitação de Cristo”, do autor Juan José Lélis, lançamento no Renascer 2020. Para os jovens, o tema do curso é “Corações ao alto! O caminho dos nossos corações: Vícios transformados em virtude pela via da ascese” com a missionária da Comunidade Shalom Wilma Ribeiro.

Os cursos são destinados “para aqueles que estão na caminhada e querem aperfeiçoar o conhecimento de Deus ou se renovar na experiência com Deus”, explica a coordenadora dos cursos do Renascer, Érica Alves.

Virtudes precisam se tornar hábitos

No cristianismo, segundo o Catecismo da Igreja Católica 180, a “virtude é uma disposição habitual e firme para praticar o bem”. Segundo o missionário da Comunidade Shalom, Júnior Nogueira, durante o curso de espiritualidade, “a disposição é uma inclinação, uma decisão do coração”, ressalta. Por isso, a virtude precisa ser habitual, não esporádica. “Uma pessoa virtuosa pratica a virtude como um hábito; precisa viver a disposição de praticar o bem”, completa.

Citando exemplos de santidade, Júnior explicou que a Igreja declara a heroicidade das virtudes quando o candidato à santidade viveu para além da medida comum das virtudes, especialmente as teologia e cardeais. Jó, por exemplo, viveu a virtude da paciência, Santa Teresinha viveu a fé de maneira heróica porque viveu uma crise de fé e fazia contínuos atos de fé. Santa Jacinta viveu a virtude da fortaleza e São Francisco de Sales, a temperança.

“Não existe santidade sem a vivência das virtudes. Antes de verificar se houve milagre ou não, a Igreja olha as virtudes que a pessoa viveu. E a virtude se expressa nos atos; não é algo abstrato”, completa.

São sete as virtudes heróicas que se contrapõe aos pecados capitais: (castidade x luxúria, generosidade x avareza, temperança x gula, diligência x preguiça, paciência x ira, caridade x inveja, humildade x vaidade). “Se somos inclinados a um pecado, precisamos viver a virtude oposta a ele, que é remédio para aquele pecado”, completa.

O missionário também citou os tipos de virtudes: Teologais, que têm Deus por objetivo (fé, esperança e caridade); Intelectuais, que têm a verdade por objeto (conhecer a fé, a doutrina da Igreja); Morais, que têm como objeto o bem (obediência, longanimidade, religião, responsabilidade, pureza, disciplina); Cardeais, que exercem papel central entre as virtudes  (justiça, temperança, fortaleza e prudência); Sociais, que são anexas à virtude cardeal da justiça e dizem respeito às relações sociais (justiça, serviço, perdão, respeito).

Os inimigos das virtudes são as falsas virtudes (não é orientada ao amor), baixa tolerância à frustração e os vícios.  “O espírito eleva as virtudes. Os atos humanos podem ser elevados pela virtude ou rebaixados pelos vícios”, completa.

A santidade é acessível a todos nós

Na Santa missa do domingo, 23, o missionário da Comunidade Shalom Pe. Paulo Henrique abordou o tema da santidade em sua homilia. ” A santidade é algo acessível para todos. Todos somos chamados a ser santos porque Deus veio até nós e nos ensinou o caminho para o céu. A santidade não está relacionada a um caminho de perfeitos, mas é para pecadores. Todos somos vocacionados à santidade”, reforça. “Jesus é a perfeição do amor e podemos amar os irmãos com o amor de Deus. A santidade é amar no dia a dia”, completa. 

Por Teresa Fernandes


Comentários

Aviso: Os comentários são de responsabilidade dos autores e não representam a opinião da Comunidade Shalom. É proibido inserir comentários que violem a lei, a moral e os bons costumes ou violem os direitos dos outros. Os editores podem retirar sem aviso prévio os comentários que não cumprirem os critérios estabelecidos neste aviso ou que estejam fora do tema.

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *.

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *