Formação

Dia de Reis: Alegremo-nos, pois a Salvação se manifesta para nós!

E a estrela, que tinham visto no Oriente, ia adiante deles, até que parou sobre o lugar onde estava o Menino. Ao verem de novo a estrela, os magos ficaram radiantes de alegria. (Mt 2, 9-10)

comshalom

Hoje, no dia 06 de Janeiro, a Igreja celebra o dia de Reis e a Epifania do Senhor, solenidade celebrada na liturgia do último domingo. Mas o que quer dizer Epifania?

De acordo com o Catecismo da Igreja Católica (528): A Epifania é a manifestação de Jesus como Messias de Israel, Filho de Deus e salvador do mundo. Juntamente com o baptismo de Jesus no Jordão e as bodas de Caná, a Epifania celebra a adoração de Jesus pelos «magos» vindos do Oriente. Nestes «magos», representantes das religiões pagãs circunvizinhas, o Evangelho vê as primícias das nações, que acolhem a Boa-Nova da salvação pela Encarnação. A vinda dos magos a Jerusalém, para «adorar o Rei dos Judeus», mostra que eles procuram em Israel, à luz messiânica da estrela de David, Aquele que será o rei das nações.

A palavra Epifania vem do grego e significa “manifestação, aparição ou ainda revelação”. Portanto, eis que existem como Epifania três eventos: a Epifania a João Batista no Rio Jordão, a Epifania aos discípulos no início da vida Pública de Jesus, com o milagre em Caná e a Epifania propriamente dita perante os Magos do Oriente (narrada no Evagelho de São Mateus 2, 1-12), da qual conhecemos como Dia de Reis e celebramos no dia 6 de janeiro.

Mas quem são esses Reis Magos?

A expressão “mago” era utilizada para designar os sábios, homens que estudavam as estrelas, ou seja, eles não estavam ligados a artes mágicas e obscuras. Eram estrangeiros, mas acreditavam na Profecia da vinda do Messias e, por isso, Deus utilizou a sabedoria de suas mentes para que, por Graça Dele, eles fossem conduzidos até onde se encontrava a Salvação.

O grande doutor da Igreja, São Beda, por meio de uma inspiração, descreveu o rosto dos três reis magos, assim: “O primeiro, diz, foi Melquior, velho, circunspecto, de barba e cabelos longos e grisalhos… O segundo tinha por nome Gaspar e era jovem, imberbe e louro… O terceiro, preto e totalmente barbado chamava-se Baltazar (cfr. “A Palavra de Cristo”, IX, p. 195)”.

Segundo São Beda, os três reis magos representavam os povos. E de fato, representavam a diversidade de uma cultura. Aqueles que não vieram de um mesmo lugar. Aqueles que mesmo estando imersos em uma cultura pagã souberam reconhecer a presença do Deus Único, do Deus Vivo que se encarnou por amor a humanidade.

Ao encontrarem o Menino Deus ali, viram a Verdadeira Nobreza que se manifestava em tanto amor e humildade. A ternura de Jesus, naquele lugar simples ao qual nasceu, os fez despojar de si, de forma concreta. “Abriram seus cofres, e ofereceram presentes ao Menino: ouro, incenso e mirra” (Mt 2,11). E diante de um gesto tão simples eles reconheceram, respectivamente, a Realeza, a Essência Divina e a Essência Humana de Deus que tomou para si todos os sofrimentos da humanidade, e, assim, eram rendidos ao Amor e a Salvação de Deus por meio da adoração ao Verdadeiro Rei.

Ir ao encontro do Salvador

A salvação de Deus não se restringe a povos, mas pelo contrário, é derramada de forma gratuita a todos. E, sim, o Senhor nos salva todos os dias, no ordinário das nossas vidas. A cada dia Ele nos concede a graça da Salvação, a cada dia o Eterno se aproxima.

Que a exemplo dos três reis magos não coloquemos limites para ir ao encontro do Salvador. Diante da Presença de Jesus, nascido em nossos corações, possamos nos despojar, humildemente, com tudo o que temos e somos. Procuremos adorá-lo e estar imersos em um verdadeiro louvor, reconhecendo a Grandeza de Deus em todos os detalhes.

Que o Espírito de Deus seja como a estrela a nos guiar e a nos colocar em profunda adoração. Pois somente diante Dele encontramos a Verdadeira Alegria. Esta é a hora! “É agora, em que os verdadeiros adoradores vão adorar o Pai em espírito e verdade. Porque são estes os adoradores que o Pai procura”. (Jo 4,23). O Senhor vem ao nosso encontro, Ele nos procura. Alegremo-nos, pois a Salvação se manifesta para nós!

Marlinda Figueirêdo

Obra Shalom


Comentários

Aviso: Os comentários são de responsabilidade dos autores e não representam a opinião da Comunidade Shalom. É proibido inserir comentários que violem a lei, a moral e os bons costumes ou violem os direitos dos outros. Os editores podem retirar sem aviso prévio os comentários que não cumprirem os critérios estabelecidos neste aviso ou que estejam fora do tema.

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *.

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *