Shalom

“Se dez vezes eu nascesse, dez vezes seria padre”, declara Bispo de Sobral em aniversário sacerdotal

“Ainda estou muito longe daquilo que preciso alcançar. Não quero fazer carreira, o que eu quero ser todos nós devemos querer também. Quero ser santo e tenho consciência de que não serei por meus méritos, mas pela graça de Deus.”

comshalom

Com o ardor missionário que lhe é característico, o Bispo da Diocese de Sobral, Dom José Luiz Gomes de Vasconcelos, celebrou 30 anos de ordenação sacerdotal na segunda-feira, 9. A data foi marcada por Santa Missa na Catedral de Nossa Senhora da Conceição em Sobral. Além de bispos dos Regionais Nordeste I e II, de dezenas de sacerdotes do clero de Sobral e de outras dioceses e autoridades, entre os convidados estava o fundador e moderador geral da Comunidade Shalom, Moysés Azevedo

“Tu me amas mais do que estes? Sim, Senhor, tu sabes que eu te amo. Através desse chamado, consagrei a Deus a minha vida e tenho a alegria de estar aqui com minha família de sangue e minha família diocesana”, ressaltou Dom Vasconcelos. O bispo disse ainda que é um momento de ação de graças para agradecer a Deus pela vocação que lhe foi concedida desde a infância.

“Cresci com esse desejo e o Senhor confirmou minha vocação e me fez sacerdote. Como é bom ser padre e despenseiro das Graças de Deus. Se dez vezes eu nascesse, dez vezes eu queria ser padre”, garante.

Dom Vasconcelos disse ainda que a vocação vivida é sempre um desejo de buscar a vontade de Deus e a santidade. “Ainda estou muito longe daquilo que preciso alcançar. Não quero fazer carreira, o que eu quero ser todos nós devemos querer também. Quero ser santo e tenho consciência de que não serei por meus méritos, mas pela graça de Deus. Que Ele me conceda servir com amor e apascentar o seu rebanho”, diz.

Moysés Azevedo ressaltou que celebrar os 30 anos de sacerdócio de Dom Vasconcelos como Comunidade Shalom e como realidades novas na Igreja é junto com ele e com toda a Igreja realizar uma ação de graças a Deus.

“Vejo em Dom Vasconcelos um sinal daquilo que o Papa Francisco chama de pastor que se faz próximo das ovelhas, aquele que vai ao encontro. Tive oportunidade de conhecê-lo praticamente em sua nomeação. Em 2012, ele estava em Roma e a Comunidade estava celebrando o reconhecimento pontifício definitivo e Dom Vasconcelos teve a oportunidade de se juntar conosco naquele momento, ele como bispo, mas também como amigo, como servo, como alguém que caminha ao lado. Durante os 5 anos que passou em Fortaleza como bispo auxiliar nós como Comunidade Shalom, como realidades novas pudemos encontrar nele esse coração de pastor que acolhe, que caminha junto, que anima, que fortalece. E aqui em Sobral nós temos essa experiência e podemos dar glórias a Deus porque Ele tem presenteado sua Igreja com pastores segundo o seu coração. Dom Vasconcelos é um sinal eloquente dessa graça de Deus para todos nós”, destaca.

Sacerdócio

Dom José Luiz Gomes de Vasconcelos (Garanhuns, 12 de maio de 1963) é um Bispo católico brasileiro. Foi bispo auxiliar de Fortaleza e é o bispo diocesano de Sobral. Foi ordenado presbítero a 9 de dezembro de 1989 por Dom Tiago Postma. Foi nomeado bispo titular de Canápio e auxiliar de Fortaleza pelo papa Bento XVI em 21 de março de 2012, recebendo a ordenação episcopal no dia 11 de junho de 2012, pelas mãos do bispo de Garanhuns Dom Fernando José Monteiro. No dia 8 de julho de 2015 foi nomeado bispo da Diocese de Sobral pelo Papa Francisco, tomando posse canônica no dia 29 de agosto.

Homilia

A primeira leitura da Santa Missa foi lida por Marlene Vasconcelos, mãe de Dom Vasconcelos, assim como em sua ordenação. “Minha mãe é um testemunho de fé por sua alegria, dinamismo”, ressalta Dom Vasconcelos. O bispo diocesano agradeceu aos bispos presentes, de forma especial ao arcebispo de Fortaleza, Dom José Antonio Aparecido Tosi Marques, por ter “ensinado os primeiros passos como bispo”.

A homilia foi proferida por Pe. Aluísio Coleta, da Diocese de Garanhuns, que descobriu sua vocação ao sacerdócio quando o bispo de Sobral era Administrador da Paróquia de Nossa Senhora da Conceição das Águas Belas. Pe. Aluísio começou cantando: “Sou bom pastor, ovelhas guardarei” em referência ao lema episcopal de Dom Vasconcelos: “PASCE OVES MEAS” (Apascenta minhas ovelhas – Jo 21,17).  

“Estamos aqui para render graça a Deus e bendizermos seu santo nome porque a vocação de Dom Vasconcelos é um dom de Deus para a Igreja, um homem chamado por Deus para viver essa vocação seguindo o exemplo do bom pastor”, ressalta o sacerdote.

Pe. Aluísio lembrou a dimensão de um sacerdote, chamado por Deus para, configurado ao Cristo bom pastor, consagrar o corpo e sangue de Cristo e perdoar pecados. “Dom Vasconcelos desde o primeiro sim assumiu sua missão de bom pastor. Com lema escolhido por ele ‘apascenta as minhas ovelhas’ conseguiu fazer deste um programa de vida. Dom Vasconcelos consagrou-se inteiramente ao Senhor, vivendo para Deus e a Comunidade. Sou natural da paróquia das águas belas nas primícias do seu sacerdócio e ele se destacava porque seu pastoreio levanta em conta ensinar, santificar e governar”, ressalta. O sacerdote disse ainda que com a firmeza e a doçura de Dom Vasconcelos muitas vocações foram despertadas. “Sou fruto do ministério de Dom Vasconcelos”, completa

Pe. Agnaldo Temóteo da Silveira, vigário geral da Diocese de Sobral, falou a Dom Vasconcelos em nome de todo o clero de Sobral. “O espírito de entrega, doação e oblação de Dom Vasconcelos se expande no campo da missão. Passaram 30 anos, mas cada eucaristia continua a ser vivida como se fosse a primeira, a última e a única. Refletindo algumas palavras do papa Francisco aos sacerdotes, gostaria de dizer: obrigado por sua fidelidade aos compromissos assumidos, pela alegria com que soube entregar sua vida. Obrigado por reforçar os vínculos de fraternidade no presbitério, obrigado por celebrar a eucaristia e apascentar ocupando-se das pessoas, obrigado por acolher os feridos e com proximidade cuidar das feridas dos irmãos”, disse.

Acolitado e leitorado

Durante a celebração, os seminaristas da Diocese de Sobral que estão cursando o segundo e terceiro ano de teologia receberam os ministérios de acolitato e leitorado.  Com o leitorato, o seminarista recebe o ministério com a intenção de tornar-se auxiliar na liturgia da palavra, se tornando oficialmente um leitor da Igreja. Já o Acolitato é o ministério dado pela Igreja aos seminaristas ou leigos para auxiliarem o sacerdote e o diácono no altar e na distribuição do Pão.

Por Teresa Fernandes 


Comentários

Aviso: Os comentários são de responsabilidade dos autores e não representam a opinião da Comunidade Shalom. É proibido inserir comentários que violem a lei, a moral e os bons costumes ou violem os direitos dos outros. Os editores podem retirar sem aviso prévio os comentários que não cumprirem os critérios estabelecidos neste aviso ou que estejam fora do tema.

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *.

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *