Igreja

Domingo tem cheiro de Deus


Domingo tem cheiro de Deus.

Desperto com aroma de café feito bem cedo.
Daqueles que transbordam capricho.
Não preciso correr. Recordo.
Calma.
Os outros descansam. E acordam mais felizes.
Há uma esperança diferente no primeiro dia da semana.
Um olfato aguçado percebe o cheiro de páscoa.
Aroma de ressurreição da vida, das lutas e paixões diárias.
Elas que exalam ofertas diárias.
No domingo o cheiro de morte morre.
Vive o perfume de alegria.

Mas não para por aí.
É certo que pelas ruas há um certo silêncio.
Menos agitação.
Manhã de domingo tem seus mistérios.
E dúvidas: dormir mais ou correr?
Não importa a escolha.
Parece que tudo nos desperta para o divino.
Mesmo que Ele este esteja escondido na gargalhada com um amigo.
Ou mesmo com o suor de uma boa praia.
Tudo lembra Ele.
Fato.

Bate a fome. De novo.
Para mim o melhor momento:
O almoço compartilhado, cheio de afeto, reencontros.
Hum! O comer está no fogo.
Aquecidos pelas proximidades.
Deus é próximo. O próximo.

Aqui Deus que ceia comigo.
Ele, tão grande, vem perfumado em refeições pequenas,
partilhadas com familiares.
Conhecidos. À mesa servidos de ressurreição.
O domingo nos re-une.

Saciado, logo procuro a rede.
Domingo exala intimidades.
Me recordo do cuidado de mãe, que embala o seu menino.
Como, talvez, tenha feito Maria, em Belém.
Em Nazaré.
E Mesmo que ninguém veja, faz.
Mãe não age para ser vista.
Prefere os silêncios.
Quem sabe lembrando diálogos sem palavras ainda no ventre.
Mãe usa o mesmo perfume.
É cheiro de amor. Misericórdia.
Impressionante.

O dia continua.
Caminho para mais uma refeição.
Sim. Eu sou desses.
Gosto de me alimentar.
Particularmente sou atraído.
Agora pelo cheiro do incenso e o sabor do pão,
morada escolhida pelo amor.
Eles me seduzem.
Diria outro: “Seduziste-me e eu me deixei seduzir”.
Fato.

Reencontro irmãos.
Os desencontros diários são desfeitos.
Refeitos são os laços dos sorrisos.
Feitos um cantamos numa só voz.
E se parar um pouco você percebe.
Outros sentem Deus em nós.
Somos da mesma essência,
com frascos diferentes.
Mesmo com nosso odor de pecado.
Mistério.

Este dia tem jeito de eterno.
No abraço apertado.
No partir do pão.
Na conversa solta e leve.
Na oração. Nas ruas.
Domingo tem cheiro de Deus!

 

 

Por Felipe Ramos
Shalom João Pessoa


Comentários

Aviso: Os comentários são de responsabilidade dos autores e não representam a opinião da Comunidade Shalom. É proibido inserir comentários que violem a lei, a moral e os bons costumes ou violem os direitos dos outros. Os editores podem retirar sem aviso prévio os comentários que não cumprirem os critérios estabelecidos neste aviso ou que estejam fora do tema.

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *.

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *