Notícias

Entrevista com Padre Franco Galdino sobre o Centro de Evangelização Virtual

Padre Franco Galdino, responsável por articular as ações de evangelização na missão de Fortaleza e autor do livro “Como evangelizar nas redes sociais”, falou sobre a evangelização online neste período de quarentena e isolamento social.

O desejo de continuar evangelizando e de manter o povo integrado acabou gerando um movimento surpreendente de evangelização digital dentro da Comunidade Católica Shalom. Poderíamos dizer que este é um tempo de explosão de conteúdo Shalom nas redes sociais e nas plataformas gerenciadas pela Comunidade. É certo que essa evangelização online já acontecia, mas, como de tudo Deus tira um bem, a limitação na mobilidade da vida analógica empurrou os missionários mais ainda para anunciar Jesus, o Shalom do Pai, no mundo virtual.

Entrevista com Padre Franco Galdino

Como corresponder ao chamado de evangelizar o mundo em um tempo em que somos impedidos de ter contato com as outras pessoas? A pandemia de COVID-19 e as portas fechadas de nossas lanchonetes e Centros de Evangelização trouxe-nos, de fato, um desafio, mas também nos trouxe uma grande oportunidade. Padre Franco Galdino, responsável por articular as ações de evangelização na missão de Fortaleza e autor do livro “Como evangelizar nas redes sociais” falou sobre este assunto. Confira um pouco da entrevista concedida ao comshalom.

SH: O que exatamente é um Centro de Evangelização (CEV) Virtual?

Padre Franco: A Comunidade nasceu para os jovens. E sendo este ambiente virtual tão povoado por jovens, desde os primeiros anos já entendemos que precisávamos estar ali. Assim nasceu o site da Comunidade. Este site informava, comunicava algo para as pessoas interessadas nas nossas atividades, mas as coisas foram evoluindo, agora estamos em um conceito diferente. Não utilizamos mais a internet só como um meio de comunicação, ela é um ambiente. Bento XVI foi um dos primeiros a utilizar o termo “continente digital”, e explorando esta ideia, é como se a Comunidade fundasse uma casa em Fortaleza, uma casa em Aracaju e uma casa no continente digital.

Nesta casa, neste ambiente, tudo o que fazíamos na estrutura física é realizado online: Grupo de oração, aconselhamento, cursos, pregações, e etc, oferecendo serviços de áudio e vídeo para todos que quiserem participar. O CEV físico me oferece uma atividade em um lugar e horário específicos. Já o CEV Virtual, por ser virtual, ultrapassa esses limites, e torna possível que pessoas em locais diferentes participem de uma mesma atividade, ou que em horários diferentes, recebam o mesmo conteúdo formativo. Um conteúdo digital no CEV Virtual pode se atualizar em qualquer lugar e em qualquer momento em uma plataforma conectada na rede. Isso faz o CEV Virtual se tornar muito estratégico para a evangelização.

SH: Existe uma rede social específica para gerenciar este “CEV Virtual” ou pode-se utilizar diferentes redes?

Padre Franco: Nós estamos utilizando diferentes plataformas. O virtual multiplica as possibilidades do CEV, porque a fluidez é própria do virtual. Por ser virtual ele é múltiplo, multimídia e multi-modalidades, ele não pode ser entendido como uma atividade ou presença em uma só rede social. Ele expande os seus serviços de várias redes sociais e, em cada uma delas, disponibiliza determinados serviços que aquela rede possibilita.

No Youtube, por exemplo, nós oferecemos cursos, pregações. No Instagram a comunicação é bem interativa, recebemos muito feedback por esta rede, pesquisamos sobre quais conteúdos as pessoas querem mais informação. Estes são apenas dois exemplos, mas estamos em outras redes também. O Portal comshalom torna-se, então, um local de convergência de todos estes serviços, como um mural que mostra tudo o que oferecemos.

SH: Quais têm sido as maiores graças alcançadas pela evangelização no mundo virtual neste tempo de pandemia?

Padre Franco: A impossibilidade de abertura das nossas estruturas físicas e o desejo sincero de servir geraram na Comunidade Shalom um movimento enorme e criativo de evangelização pela a internet. Sempre tivemos uma boa evangelização pela internet, mas ultimamente é como se todos tivessem assumido o ministério de evangelização pela internet. Não poder servir aconselhando pessoas presencialmente nos Centros de Evangelização gerou o “Aconselhamento ON”. Não ter um grupo de oração nas salas do CEV tornou possível o nascimento do “Grupo de Oração Online”, os testemunhos são inúmeros de pessoas que são alcançadas e tocadas, inclusive que há muito gostariam de participar de um grupo de oração e nunca o puderam fazer por distância ou horários inviáveis.

Outra grande graça é a atividade do youtube.com/comshalom que tem desenvolvido uma espécie de WebTv com uma programação que disponibiliza vários conteúdos em vídeo ao longo do dia: liturgia das horas, terço, missas e pregações. Além de tudo, este movimento gerou uma nova percepção em muitos irmãos da Comunidade sobre a importância e a potência de alcance da evangelização pela internet. Quem não tinha habilidade informática precisou se atualizar para continuar evangelizando.

SH: Como fica a relação com a Sagrado e os Sacramentos neste contexto virtual?

Padre Franco: A maior crítica de Jesus aos fariseus foi o fato de eles pensarem que, somente cumprindo as regras externas, eles alcançariam as graças internas. E não é bem assim. Os Sacramentos expressam uma maneira que Deus quis que experimentássemos fisicamente o que é espiritual. O Sacramento é um sinal visível de uma graça invisível. Portanto, nestas condições que vivemos hoje, de impossibilidade de ir à Igreja, ao fazermos nossa comunhão espiritual, ela tem o mesmo efeito da comunhão sacramental.

É a hora de, mais do que nunca, acreditar na graça invisível. Mas se eu acredito na força espiritual que vem sobre mim, que eu estou celebrando mesmo virtualmente, eu não posso estar em casa deitado no sofá, como se eu estivesse assistindo um filme. A postura, o respeito, o fechar os olhos, tudo isso é importante e também se torna Sacramento, porque eu uno o meu corpo àquele mistério.

SH: Qual deve ser a postura do evangelizador neste ambiente digital?

Padre Franco: Eu destaco três pontos, que também abordo no livro “Como evangelizar nas redes sociais”. É importante o testemunho de vida, a relação com o outro e a boa comunicação. O testemunho porque na rede social você não tem contato somente com um conteúdo, é possível entrar na vida das pessoas e perceber se o que ela diz é coerente com a maneira que ela vive. É o testemunho de vida que dá crédito ao meu conteúdo.

O segundo ponto é a relação, que na verdade é o amor ao outro. Eu evangelizo não por causa de mim, não para me promover, mas por amor ao outro. Não é uma evangelização impositiva e nem uma discussão em que eu pretendo convencer alguém, é me aproximar do outro para criar uma relação com ele, é querer ouvi-lo e me importar com ele. O terceiro é a comunicação, em que é preciso refletir como comunicar a minha mensagem considerando as minhas habilidades. Se eu sei escrever, eu escrevo. Se eu sei cantar, eu canto. Se eu tenho capacidade de ser um youtuber, que eu faça isso com simplicidade. O importante é sempre buscar ser autêntico.

Ouça a entrevista na íntegra

Tatiane Rodrigues


Comentários

Aviso: Os comentários são de responsabilidade dos autores e não representam a opinião da Comunidade Shalom. É proibido inserir comentários que violem a lei, a moral e os bons costumes ou violem os direitos dos outros. Os editores podem retirar sem aviso prévio os comentários que não cumprirem os critérios estabelecidos neste aviso ou que estejam fora do tema.

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *.

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *