Formação

Frei Patrício: Quaresma é Tempo da Aliança com Deus

A Quaresma tem esta finalidade, a de nos ajudar a purificarmo-nos dos nossos pecados, tirar os ciscos e as traves dos nossos olhos e contemplar com alegria o mistério da vida renovada por Cristo Jesus.

Quaresma é tempo de Aliança com Deus

Hoje é o dia de São Patrício, data propícia para nos inserir neste tempo de maior aliança com Deus, a Quaresma. Este santo que era pobre pastor, experimentou a escravidão, foi libertado, além disso se tornou monge, bispo e evangelizou a Irlanda, que seja modelo para a nossa vida, às vezes pobre de entusiasmo e de amor. Ele escreveu um pequeno livro, “as confissões de São Patrício, onde conta a sua história não tanto humana, mas espiritual, o seu amor para com Deus e para com os irmãos. Hoje rezem por mim, que tenho o nome deste santo que amo e a quem gostaria imitar no amor ao Evangelho. 

Segundo domingo de Quaresma

Estamos no segundo domingo de Quaresma, caminhando para a Páscoa. A Igreja quer que o nosso caminho seja feito à luz da Palavra do Senhor e que nós sejamos testemunho no mundo agitado pelo consumismo e que sempre mais cria novos ídolos, que sejamos profetas do verdadeiro Deus, que nos chama a uma constante conversão de amor e de obras.

Deus nunca nos deixa sozinhos na luta contra o espírito das trevas, contra o diabo, que tenta nos separar de Deus e dos outros. Deus sempre caminha conosco, mesmo quando a noite é grande e não conseguimos vê-lo. Assim também a Igreja caminha conosco. Somos peregrinos da e na fé, caminhamos sempre com os olhos fixos em Deus e na luz.

Confiança no Magistério da Igreja

Gostaria de colocar em evidência um aspecto que para mim é importante: ter confiança no Magistério da Igreja. O nosso individualismo e o nosso teologismo pessoal nos levam a criticar demasiadamente a Igreja, o Papa, os bispos, o Magistério; isso enfraquece a nossa fé e nos torna pessoas que não caminham juntas, mas sozinhas. Caminhar sozinho é sempre perigoso. São João da Cruz diz que quem caminha sozinho, sem amigos, é como uma árvore solitária no descampado; à primeira ventania cai, porque não há ninguém para se apoiar, e se cai não há ninguém para levantá-lo.

Somos igreja, povo guiado pelo Papa Francisco, que com sua palavra sábia e iluminada pelo Espírito Santo nos orienta nos caminhos da vida. Devemos colocar-nos à sua escuta e à escuta dos que estão com ele. Alguém poderia dizer “mas isto se chama “papaidolatria”, besteira das besteiras, isto se chama fidelidade à Igreja de Pedro.

O povo de Israel, o povo da primeira comunidade cristã, o povo da Igreja nunca caminha sozinho, nunca foi aventureiro, mas sempre o caminho se fez com todos juntos. Pode ser que muitos ou poucos não concordem com essa minha visão, mas não faz mal, tenho certeza que esta visão é segura, certa e nos dá tranquilidade no caminho da vida. Deus caminha junto com a comunidade iluminada pelo Espírito Santo. Caminhamos juntos para a Páscoa do Senhor, durante a qual é reafirmada e reforçada a nossa aliança com o Senhor da vida.

Deus passa no meio de nós

A nossa fé não é conto de fadas feito para nos tranquilizar e não ter medo da noite, mas é uma realidade, da qual não podemos duvidar e a qual nós vivemos e nos movemos em todos os momentos da nossa vida. A Bíblia não é só um livro do passado, mas do presente, é uma memória permanente do Deus vivo, que não muda e que continua a fazer o caminho conosco, como o fez com Adão até ao homem de hoje e fará até o fim do mundo.

Um Deus amor que nunca pode abandonar o homem que foi criado por amor. Deus toma sempre a iniciativa do amor, porque é fonte de amor, mesmo quando nós nos afastamos dEle. Ele nunca se afasta de nós, não pode se afastar de nós nem nos deixar sozinhos, porque nos ama.

A aliança que Deus faz com Abraão Ele faz para sempre, e por isso mesmo a Virgem Maria no seu magnificat recorda a Deus o pacto que Ele fez com Abraão, o nosso pai na fé. O trecho do livro do Gênesis deste domingo é de uma beleza única, tamanha, que nós deveríamos voltar a ler, não digo uma vez por dia, mas várias vezes ao dia.

Quaresma, Tempo da Aliança

O povo de Deus é tão numeroso, mais do que as estrelas do céu, e mais que os grãos de areia do mar. Deus é fel à sua promessa. Como é belo ler e saber que os católicos no mundo crescem, aumentando o número de novos cristãos, mas ao mesmo tempo sempre existirão os que preferem fazer outros caminhos. A Igreja é um porto do mar, onde todos têm liberdade para se refugiar, sempre na plena liberdade.

Deus se faz presente no sacrifício de Abraão como chama de fogo que passa no meio das vítimas e as consagra. Deus se faz presente hoje na nossa história, passa no nosso meio sob muitas formas: na Eucaristia, na Sua Palavra, na vida das pessoas, nos pobres, nos acontecimentos, cabe a nós saber ver esta presença do Senhor e sentir que Ele passa no meio de nós e renova a Sua aliança conosco. Quaresma, Tempo da Aliança.

Deus não é o nosso estômago

Não é necessário comentar muito da passagem de Paulo à comunidade dos Filipenses, é só parar e ver como nós nos comportamos diante de Deus, que lugar Deus ocupa na nossa vida. Nós nos lembramos de Deus só para que Ele resolva a compra no supermercado, na farmácia, e nos dê um bom fim de semana nos melhores restaurantes? Deus é para nós o começo, o meio e o fim de nossa vida? Digo chorando que há muitos que se comportam como inimigos da cruz de Cristo. A cruz não é inimizade de Deus e nem punição, é plenitude do amor de Deus para conosco. Devemos pensar nas coisas terrenas? Claro que sim. Devemos pensar só nas coisas terrenas? Claro que não.

Ontem, hoje, amanhã e sempre com Jesus

É difícil encontrar no Evangelho um texto mais belo que o da transfiguração para nos animar. Nos momentos difíceis, Jesus nos toma pela mão, como um dia fez com Tiago, João e Pedro, e nos leva para o alto monte e aí se transfigura, na presença de Elias e de Moisés. O Antigo e o Novo e o novíssimo se fazem presentes. Não devemos olhar as dificuldades, a cruz, os sofrimentos e fechá-las com o muro do pessimismo, mas devemos sempre olhar para o alto aonde vemos como resplandecer a luz do que seremos um dia e como seremos um dia.

A Quaresma tem esta finalidade, a de nos ajudar a purificarmo-nos dos nossos pecados, tirar os ciscos e as traves dos nossos olhos e contemplar com alegria o mistério da vida renovada por Cristo Jesus. Uma coisa é certa: não se pode anunciar o Evangelho, dar testemunho de Jesus sem a força de Deus, que se obtém não tomando vitaminas B ou C, mas através da oração. É na oração cotidiana e constante que está nossa força. Sem a oração somos como Pedro, que não sabe o que diz. Não é necessário fazer três tendas; nós somos a única tenda onde habita o Deus de ontem, de hoje e de sempre.

 

VEJA MAIS:

Quaresma, como tenho vivido?

Como fazer um bom exame de consciência?

25 perguntas sobre penitência e confissão


Comentários

[fbcomments]

Aviso: Os comentários são de responsabilidade dos autores e não representam a opinião da Comunidade Shalom. É proibido inserir comentários que violem a lei, a moral e os bons costumes ou violem os direitos dos outros. Os editores podem retirar sem aviso prévio os comentários que não cumprirem os critérios estabelecidos neste aviso ou que estejam fora do tema.

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *.

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *