Shalom

Missionário na Suíça conta como é ser um evangelizador na Europa em tempos de Covid-19

O anúncio, que acontece por meio da intercessão e do diálogo, tem como objetivo levar a esperança àqueles que não conhecem a Boa Nova de Cristo.

comshalom

Nesta Série Especial do comshalom.org em tempos de Pandemia, você está acompanhando como os missionários em todo o mundo têm vivido a virtude da esperança, própria dos cristãos em todos os momentos da vida.

Hoje você vai conhecer um membro da Comunidade Católica Shalom que mora na Suíça. Ele conta como tem chegado ao povo Europeu em época de restrições por causa do Covid-19.

Suíça: Uma rotina de estudos e intercessão

Isaac Soares é missionário da Comunidade de Vida Shalom em Lugano, Suíça. Ele conta que neste tempo, os irmãos têm vivido a missão seguindo as diretrizes da Igreja local e também das autoridades governamentais, que restringem a circulação de pessoas nas ruas.

“As atividades presenciais aqui no país estão suspensas. Aqui em Lugano, todos nós estudamos Teologia. As Missas também não estão mais sendo celebradas com o público. A orientação é estar em casa e estudar o que os nossos professores estão gravando por meio das plataformas digitais. Aqui em casa estamos assistindo às aulas e nos empenhando ao máximo para, neste tempo rezar mais”, pontua.

Isaac conta que a missão de Lugano resolveu fazer um Cerco de Jericó (durante uma semana), com 24h de intercessão, logo no início da Quarentena. Ele ressalta que estar em casa não é motivo para deixar de evangelizar.

O missionário afirma que desde o começo da determinação do governo para que todos permanecessem em casa, eles passaram a adotar três medidas concretas de evangelização: 1. Interceder. 2. Permitir que o povo viva os momentos de oração com os membros do Shalom na Suíça através das Redes Sociais, especialmente o Terço da Misericórdia, grupos de oração e formações Online. 3. Estar próximo dos habitantes do país de forma pessoal: através de ligações, chamadas de vídeo e de mensagens de texto, com o objetivo de fortalecer  o espírito de Unidade entre as pessoas que conhecem a Comunidade no país.

“Deus tem saudade do seu povo. Nós, missionários, devemos ser este povo que neste período intercede diante dEle. Este é um tempo em que o povo também tem saudade de Deus, por não poder se reunir e celebrar a fé. Nós podemos ser então essa presença de Deus na vida do povo e redescobrir o sentido profundo do que é ser um missionário”, ressalta Isaac.

Ele conclui afirmando que é tempo de ter esperança de que Cristo é o Senhor da história, apesar dos males que acontecem conosco.

“Deus não deseja o mal, Ele sofre conosco e nos redime do mal. Devemos morrer e viver com Cristo na Cruz sofrendo o mal deste tempo para colhermos um bem maior”, lembra.

Especial Missões Internacionais em Quarentena

#Capítulo 1 | Míssionários na Itália e na França contam como manter a esperança em tempos de Covid-19

#Capítulo 2 | Missionários de Varsóvia e Cracóvia falam sobre a evangelização da Polônia em Quarentena


Comentários

Aviso: Os comentários são de responsabilidade dos autores e não representam a opinião da Comunidade Shalom. É proibido inserir comentários que violem a lei, a moral e os bons costumes ou violem os direitos dos outros. Os editores podem retirar sem aviso prévio os comentários que não cumprirem os critérios estabelecidos neste aviso ou que estejam fora do tema.

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *.

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *