Shalom

Nessa quarentena, o Senhor me concedeu uma graça de compreender a intercessão como um ato de amor

O Senhor quer nos ensinar, neste tempo de pandemia, o valor da oração de intercessão e que com Ele nós caminhamos na esperança, na confiança de que tudo isso passará e nos deixará muitos frutos, pois Deus é tão bom que de um mal, pode tirar coisas boas.

comshalom

Eu me chamo Caio Márcio, sou vocacionado na Missão de São Luís (MA) e pastor do grupo de oração Paráclito.

Desde o começo da minha caminhada na igreja, é comum meus familiares e amigos me pedirem orações por alguma intenção, e por isso a intercessão, mesmo sendo tão vaga as vezes, tem sido uma marca constante nas minhas orações. Mas nessa quarentena, o Senhor me concedeu uma graça de compreender a intercessão como um ato de amor, de doar-se para o outro, de sair de si e clamar. De um ato de oração pela minha cachorrinha doente até o meu avô curado de COVID-19, o Senhor escutou as minhas preces.

Queria começar a partilhar que minha cachorrinha estava com epúlide oral (um tumor grande na boca) fazia alguns meses e ela sofria muito, estava triste e como meu pai não queria gastar com o tratamento dela, decidi rezar. Foi estranho no começo, mas mesmo assim entreguei a situação a Jesus e movido de compaixão, rezei por ela. Meu irmão que também é do Shalom, me acompanhou nessa empreitada. Questão de dias, o tumor dela caiu, ela estava sorrindo pelo quintal, minha mãe me abraçando…

Hoje parece que foi uma forma de que o Senhor me mostrou que preciso confiar n’Ele, que minhas orações são ouvidas, pois dias depois meu avô foi internado com pneumonia grave decorrente do COVID-19. Foi um choque na família, nunca imaginamos que acontecerá conosco, mas aconteceu. Mais uma vez o caminho que Jesus indicava ao meu coração era o da intercessão, ver minha mãe chorando e me pedindo para que eu rezasse por ele, moveu o meu interior ainda mais forte para esse ato de amor.

Entre melhoras e pioras, na oração, com o médico dizendo que foi uma milagre em virtude dele já possuir diabetes, hipertensão e idade avançada, meu avô se recuperou, recebeu alta e agora está em casa por graça de Deus. E no meu coração surgiu o imenso desejo de interceder mais pela humanidade, de me dedicar profundamente a intercessão.

Jesus me mostrou que minha oração deve ter um rosto concreto, o rosto da humanidade que sofre, que tem destinatários concretos, tem nomes, que agora não são mais somente daqueles que conheço, mas daqueles que não conheço. O Senhor quer nos ensinar, nesse tempo de pandemia, o valor da oração de intercessão e que com Ele nós caminhamos na esperança, na confiança de que tudo isso passará e nos deixará muitos frutos, pois Deus é tão bom que de um mal, Ele tira coisas boas.

Que o Senhor nos mova para intercedermos pelo fim dessa pandemia, pela pacificação dos corações de todos os homens. Que Ele nos conceda a experiência com esse ato de amor, de compaixão, de sair de si e ir ao encontro do outro.

Shalom.


Comentários

Aviso: Os comentários são de responsabilidade dos autores e não representam a opinião da Comunidade Shalom. É proibido inserir comentários que violem a lei, a moral e os bons costumes ou violem os direitos dos outros. Os editores podem retirar sem aviso prévio os comentários que não cumprirem os critérios estabelecidos neste aviso ou que estejam fora do tema.

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *.

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *