Shalom

No túnel do tempo do Festival Halleluya

comshalom

Um dos eventos mais esperados, promovido pela Comunidade Shalom, começa amanhã.  É o Festival Halleluya, que nestes 35 anos de Comunidade, completa sua 21ª edição, de 19 a 23 de julho no Condomínio Espiritual Uirapuru (CEU). Totalmente gratuito, o Halelluya reúne em cinco dias, bandas e cantores católicos em seus mais diversos ritmos e canções que alcançam e contagiam os corações de todas as gerações.

Mas, onde estava você em 1996 que hoje canta e dança no Festival Halleluya? Talvez ainda nos planos de Deus, nem tivesse nascido ou estava de fraldas dando seus primeiros passos e quedas rumo à vida. Outros maiorzinhos, envolvidos com as novidades do momento, como as Meninas Superpoderosas, a turma do “Hey Arnold!” e com as aventuras intermináveis do Pokémon. Os mais adolescentes talvez curtindo Super Mario e Malhação, implicando com os irmãos mais novos na disputa pelo controle da TV.

Bom, neste mesmo ano, muitos já conheciam ou participavam da Comunidade Shalom. Nesta época, ainda bem jovem, com apenas 14 anos de fundação, surgiu a ideia de um festival de música no mês das férias de julho. Para explicar mais sobre a início do evento e sua história, o Comshalom entrevistou Aurinilton Leão (Nil), missionário da comunidade de Vida e um dos primeiros organizadores do Halleluya. Venha conosco no túnel do tempo do Halleluya:

A proposta

A história do Halleluya começou como um festival de música de três dias chamado Trifest. A proposta veio da Comunidade Recado que criou uma parceria com o fundador e a cofundadora da Comunidade Shalom, Moysés Azevedo e Maria Emmir Nogueira, com o intuito de premiar a música católica. No ano seguinte, a organização do evento ficou totalmente sobre a responsabilidade do Shalom, passando para quatro dias, sendo chamado de Quadrifest. E finalmente em 1996 ele se torna o evento Halleluya.

De Halleluya para Festival Halleluya

Desde a primeira edição até 2004, o Halleluya aconteceu no Anfiteatro do Parque do Cocó, na cidade de Fortaleza, indo somente em 2005 para o Condomínio Espiritual Uirapuru (CEU), onde até hoje é realizado. Em 2008, para melhorar a temática do evento ele foi transformado em um Festival e em 2009 de forma muito concreta, se chamou Festival Halleluya em virtude de propagar mais o teatro e a dança, passando a ser o maior festival e artes integradas do Brasil.

Os espaços

No início a estrutura era muito menor e se resumia a um palco pequeno, ao lado uma tenda com o Santíssimo e algumas barracas de comidas típicas ao redor, preenchia todo o anfiteatro do parque. Com a mudança em 2005 para o CEU e com a multiplicidade de cultura, se viu a necessidade de serem criados aos poucos, novos espaços na estrutura e a partir de 2008 se criou o espaço dos consultores da sociedade, que hoje se chama Pátio Halleluya. Em 2009, o espaço Adventure, e em 2010, o espaço da Misericórdia, que foi recriado com uma nova dimensão e com todas as suas vertentes modificadas.

As atrações

No início, ainda no Parque do Cocó, as principais atrações era o então seminarista Fábio de Melo, a Banda Vida Reluz, hoje Adoração e Vida, Eugênio Jorge, Comunidade Recado, Ziza Fernandes, Missionário Shalom,com outros componentes, Adriana, Kelly Patrícia…

De 2005 em diante, começou então a se buscar novos artistas para o Festival, foi quando em 2010, aconteceu o retorno do Pe. Fábio de Melo e o grupo Rosa de Saron, além das oportunidades de novas bandas e cantores locais, como premiação cantarem no palco principal do evento

Evangelização

A evangelização desde o início, sempre fez parte do Halleluya, não só pelas músicas, atrações e espaços, mas por um trabalho de equipe dos membros e participantes da Comunidade, que através de cada serviço e doação sabem da importância e da dimensão do amor de Deus na vida de cada pessoa que se dispõe a participar e viver momentos inesquecíveis na festa que nunca se acaba.

Nessas férias, convidamos você a sair de casa e vir fazer parte do Festival Halleluya. Ser protagonista de uma nova vida na história da Comunidade Shalom, e quem sabe, daqui alguns anos, você não estará contando episódios irados da temporada 2017?


Comentários

Aviso: Os comentários são de responsabilidade dos autores e não representam a opinião da Comunidade Shalom. É proibido inserir comentários que violem a lei, a moral e os bons costumes ou violem os direitos dos outros. Os editores podem retirar sem aviso prévio os comentários que não cumprirem os critérios estabelecidos neste aviso ou que estejam fora do tema.

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *.

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

  1. Boa noite.
    Sou aluna de turismo, na instituição Fanor Devry.
    E irei começar meu TCC esse semestre. Quero muito fazer sobre o festival Halelluya, porém, não acho muitas informações sobre o evento. Gostaria de saber como faço para consegui-las. Pois já tentei pelo Facebook, mas não me respondem. 🙁

    Desde já, agradeço muito, e espero retorno.