Notícias

O primeiro Acamps Ponta Grossa apenas começou

“Eu sinto que voltei com um coração diferente. Sou muito grata por essa experiência e definitivamente faria de novo”, testemunha Ana Carolina Ramlow

Aconteceu na Missão Ponta Grossa, nos dias 23 a 26 de janeiro, o primeiro Acamps da missão, na casa de Retiros Monte Sião, em Palmeira (46 km de Ponta Grossa). Jovens, adultos e crianças viveram o novo de Deus reunidos em 4 dias de acampamento que prometia ser impossível descrever. Foram mais de 200 pessoas, dentre servos e participantes, no primeiro Acamps Ponta Grossa.

No primeiro dia, o acampamento começou com acolhida e chegada na chácara, arrumação das barracas e animação. Mas na manhã seguinte, houve a primeira prova de resistência: acordar a base do “bate panelas”.

A adoração foi um momento de entrega para que a nova obra fosse começada. A primeira pregação foi a gospel (piadinha interna) Drika, da missão de Brasília, consagrada da Comunidade de Aliança. A mesma falou sobre o “amor de Deus” que é um amor misericordioso, de um Pai que ama sem julgar, que tem piedade e paciência para cada um dos seus filhos. Um amor capaz de mudar qualquer condição, de um Deus que é ciumento pelos filhos que têm. E como resposta de amor Ele espera que correspondendo a essa forma de amar. Sobre o “pecado e salvação, diz Drika que “Jesus sofreu por nós, já o pecado nos escraviza. E pecando nos desaprendemos o que é o amor [verdadeiro]”.

No segundo dia, logo pela tarde foi hora do esperado lazer, da divisão das Famílias e apresentação dos pais de cada equipe. Eram quatro famílias: D’avilla, Lisieux, Lolek e Miguel.  Os participantes foram testados na mira, equilíbrio, perder o medo de altura a tirolesa, e se lançaram numa lona que finalizada numa poça da lama.

A noite começou com animação e apresentação do espetáculo “O canto das Irías”. Logo após, ocorreu a primeira festa “Luau Party”. Muita fruta, decoração impecável, flores e flashes. Era momento de conviver, conhecer as pessoas e partilhar com os (novos) amigos sobre tudo que já sentiam. Música acústica, muita animação e dança fizeram desse luau um momento de muita alegria a todos.

O terceiro dia começou com a pregação da missionária Wenna, consagrada da Comunidade de Vida. A mesma partilhou sobre o tema “serás inteiramente do Senhor teu Deus”, explicando sobre as seitas e também sobre o testemunho pessoal dela, dizendo que “o vazio do meu coração é do tamanho de Deus”. Logo após houve uma missa, com um momento especial de cura e libertação, com o Padre Wagner.

A tarde mais uma vez foi de muito lazer, onde em cada brincadeira os participantes experimentavam da ajuda e da força que o outro que o outro nos dá quando não estamos conseguindo prosseguir. Na noite do terceiro dia, aconteceu uma festa do Neon, com a presença do cantor missionário, Higor Fernandes, diretamente da cidade de Fortaleza. Além de animar, pular e dançar, conduziu um momento de oração e interação com o pessoal.

Um dos momentos mais esperados aconteceu no último dia, a Efusão do Espírito Santo. O momento foi conduzido pela Drika, que explicou o que era o momento, convidando todos a clamar pelo batismo do Espírito Santo.  Após tantas lágrimas e uma experiência com o Espírito Sasnto, a alegria tomou conta dos jovens, que logo em seguida seguiram para o último momento do lazer. Para finalizar o lazer, houve a explosão das cores ao anunciar a família vencedora da gincana, porém, todos comemoravam juntos, afinal, todos ali foram campeões.

“Os Santos tinham uma meta de vida e, a nossa também deve ser: A santidade. Que vem de uma decisão diária, e para isso temos o auxílio do Espírito Santo”, afirmou Priscila, discípula da Comunidade de Vida, que pregou sobre o crescer na graça. Não é fácil caminhar, mas não se está sozinho, há uma família com cada um que decide buscar o céu.

Ana Carolina Ramlow, 23 anos e estudante, partilhou que o Acamps, de fato, foi impossível descrever: “Ao falar da minha experiência neste acampamento, me falta entendimento para poder dizer “nesse Acamps Deus fez ISTO”. Eu só sei que Deus fez MUITO”, testemunha Ana.

“Eu cheguei abatida e aflita, com o coração baqueado por diversas coisas que ocorreram antes. […] Pouco a pouco o Espírito Santo foi abrindo o meu coração e eu me senti amada e querida por Deus. A vontade de aproveitar as graças substituiu o medo e Deus me apresentou pessoas maravilhosas. Eu sinto que voltei com um coração diferente. Sou muito grata por essa experiência e definitivamente faria de novo”, continua ela.

Com a experiência do Acamps, muitas vidas foram transformadas. Cada olhar, abraço, palavra, faziam sentir a presença de Deus. Mas o melhor de tudo ainda está por vir, pois, apenas começou.

Janaína Teixeira / Líneker Antunes


Comentários

Aviso: Os comentários são de responsabilidade dos autores e não representam a opinião da Comunidade Shalom. É proibido inserir comentários que violem a lei, a moral e os bons costumes ou violem os direitos dos outros. Os editores podem retirar sem aviso prévio os comentários que não cumprirem os critérios estabelecidos neste aviso ou que estejam fora do tema.

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *.

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *