Shalom

Padre Rafael Moreira: de oficial do exército a sacerdote

Natural de Niterói no Rio de Janeiro, um dos diáconos da Comunidade Shalom que serão ordenados no dia 22 de dezembro.

comshalom

Me chamo Rafael Moreira da Silva, sou natural de Niterói no Rio de Janeiro, mas cresci em uma cidade próxima chamada São Gonçalo. Não tive uma educação católica na minha família, pois meu pai é evangélico e minha mãe não dá muita atenção a questão da vivência da fé. Devido a isso minha experiência com Deus foi um pouco tardia e aconteceu em um grupo de oração na Academia Militar das Agulhas Negras. Foi como cadete do Exército que fiz minha primeira comunhão aos 18 anos e minha crisma aos 19 anos. Depois disso comecei a frequentar a Renovação Carismática Católica quando fiz o meu primeiro Seminário de vida no Espírito Santo.

Após muitos anos no exército, já como oficial fui transferido para Recife, onde conheci a Comunidade Shalom. Recordo que o primeiro chamado com relação ao sacerdócio se deu em um congresso de Cura no Ginásio Paulo Sarasate em Fortaleza. Naquela ocasião Moysés Azevedo, fundador da Comunidade Shalom, fez uma proclamação de que Deus chamava alguns Jovens para o sacerdócio e motivou que aqueles que se sentissem chamados se aproximassem do Santíssimo Sacramento e depois conversassem com, na época ainda, Diácono Denys Lima, Hoje responsável pelos Seminaristas e Padres da Comunidade. Foi o que eu fiz.

Precisei guardar o chamado no coração por um tempo

Logo após este episódio fiz uma viagem para algumas cidades na Espanha e Portugal, entre elas Fátima. Nesta viagem, Deus por diversas vezes, confirmou o chamado, tanto que voltei um pouco confuso, acreditando que fosse vontade de Deus trilhar um caminho no seminário da Diocese de Olinda e Recife. Devido a uma orientação do meu acompanhador resolvi guardar no coração aquele chamado e aprofundar durante o ano vocacional da Comunidade Shalom.

Foi quando Deus me chamou para a Comunidade de Vida. Ocasião em que a vontade Deus foi se tornando mais clara para mim. No entanto, viriam outros desafios, como deixar a carreira militar? Pois já era oficial do exército. Como contar aos meus pais este novo que Deus me propunha? Realmente o início para eles não foi fácil, como também não foi fácil abandonar a carreira militar. No entanto a providência de Deus foi conduzindo tudo, e eu ingressei na Comunidade de Vida e fui morar em Florianópolis no meu primeiro ano de Comunidade. Morei também em Pacajus e Macapá antes de ingressar no seminário.

O tempo foi passando e a certeza com relação ao sacerdócio crescia muito dentro de mim. Hoje percebo que tinha tanta certeza no sacerdócio que precisei aprofundar minhas motivações, rezar um pouco mais com o Celibato e perceber que a opção pelo celibato não era algo acidental do chamado, mas essencial. Foi isso que o Senhor fez comigo, pois no mistério da providência de Deus permaneci mais um ano contra a minha vontade em Macapá.

Naquela ocasião cheguei a pensar que era apenas celibatário, que o sacerdócio era uma fantasia da minha cabeça até perceber que é dentre os celibatários que o Senhor chama os sacerdotes. Ingressei no seminário em 2013, cursei filosofia por 3 anos em Fortaleza, parei os estudos durante o meu estágio pastoral que foi realizado na casa de formação da comunidade no Eusébio e depois retornei a estudar Teologia na faculdade Católica em Fortaleza por mais quatro anos, vindo a terminar os estudos nesse ano em que caminhamos para a ordenação Diaconal.

Contemplando as promessas de Deus que se cumprem

Meus pais ainda não concordam muito, mas procuram respeitar. Hoje contemplo as promessas que o Senhor me fez a 15 anos atrás. Sou muito grato a Deus, pois percebo a cada dia, que foi para isso que Ele me criou. De fato, aquilo que é Deus sempre permanece, se existe um desejo sincero em nosso coração de responder. Sempre me perguntei porque o Senhor me pediu tantas coisas para depois me dizer sua vontade, no entanto descobri que mesmo no exército eu já caminhava para ela, e que nada passa alheio ao mistério da providência de Deus.

Desse modo acredito que nunca seja tarde demais para deixar que Deus cumpra suas promessas. Além disso, não importa quantas sejam as provas, os ventos ou tempestades, se a casa é sedimentada sobre o fundamento da vontade de Deus sempre permanece de pé.

Convido você a olhar para dentro do teu coração, lá existe um eco de quem tu és, daquilo que Deus pensou sobre você. Na verdade, te convido a rezar, pois vocação é chamado, mas também é resposta. No entanto, ninguém responde sem escutar. Costumo dizer que Deus deixa as pistas do seu caminho na nossa história, o que fazemos é somente ouvi-lo para descobrir onde se encontram. Nossa vida é feita de marcos, como uma rota de um alpinista, em um ou outro momento de queda, basta retornar para o anterior, e Ele nos mostrará o quanto já subimos.

“Nunca tive pretensão de ser padre”

Por fim, digo que nunca tive a pretensão de ser padre, apesar de em algumas brincadeiras de criança brincar de celebrar matrimônios com amigos. O fato é que o sacerdócio é a melhor surpresa de Deus na minha vida, nunca foi um plano meu simplesmente, mas um projeto amoroso de Deus que me conquistou.

Durante este ano como Diácono, pude aprofundar a vivência dos sacramentos e fazer uma leitura do meu lema Sacerdotal. A cada dia, vou percebendo que, para quem é chamado, surge uma alegria sacerdotal ontológica e inerente ao exercício do ministério. Percebi também que o senhor me preparava para agir na sua pessoa, para ser cordeiro ofertado em sacrifíco.

Talvez por isso foi um ano de profunda kenosis. O Senhor nos quer vazios para que ele preencha os nossos corações. Descobri com o Evangelho de Lucas 3,4, meu lema sacerdotal, que o Senhor me convida, por meio do sacerdócio, a preparar o caminho de cada homem até ele e aportar, a cada Eucaristia, o cordeiro de Deus que tira o pecado do mundo.

Agradeço a Deus e a Comunidade que foram meios para que eu encontrasse a vontade de Deus, bem como todos os irmãos que com sua oferta singela de algum modo me alcançaram. Deixo aqui também o meu agradecimento aos meus pais pelo Dom da vida, sem eles não eu não teria o que ofertar.

Se eu pude encontrar a Deus, de alguma forma foi pelo testemunho de retidão do meu pai e porque sempre me senti profundamente amado por minha mãe. Por fim peço a você que lê este testemunho que reze por mim uma Ave- Maria! Neste ensejo, certo da intercessão amiga e acolhedora, o meu singelo muito obrigado!

Rafael Moreira da Silva, diáconono da Comunidade Católica Shalom

Leia também:

Diácono Michel Lobato: de uma experiência no Carnaval ao chamado ao sacerdócio
Diácono Luiz Augusto Giobini: um caminho sacerdotal cuidado pela Virgem Maria

Comunidade Shalom acolhe 4 novos diáconos

Serviço

Ordenação Prebisteral – Arquidiocese de Fortaleza 202

Data: 22 de dezembro de 2022
Hora: 18h30
Local: Arquidiocese Metropolitana de Fortaleza
Transmissão ao vivo: 
Canal da Arquidiocese de Fortaleza

 


Comentários

Aviso: Os comentários são de responsabilidade dos autores e não representam a opinião da Comunidade Shalom. É proibido inserir comentários que violem a lei, a moral e os bons costumes ou violem os direitos dos outros. Os editores podem retirar sem aviso prévio os comentários que não cumprirem os critérios estabelecidos neste aviso ou que estejam fora do tema.

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *.

O seu endereço de e-mail não será publicado.