Notícias

Quando devo montar a árvore de Natal?

Conheça o sentido dos símbolos natalinos e a história da árvore que decora muitos lares nesta época do ano

comshalom

Apesar de não haver um dia oficial para a montagem da árvore de Natal, a tradição católica indica que ela seja realizada no primeiro domingo do Advento, celebrado no dia 28 de novembro nesse ano. Junto com o Presépio e a Coroa do Advento, a árvore é um dos símbolos que insere o fiel na expectativa do nascimento de Cristo. “A árvore de Natal com as suas luzes recorda-nos que Jesus é a luz do mundo, é a luz da alma que dissipa as trevas das inimizades e abre espaço ao perdão”, explicou o Papa Francisco em 2018, por ocasião da inauguração da árvore de Natal no Vaticano. 

>> Leia também: O que é o Advento?

São João Paulo II ensinava que a árvore de Natal faz referência também à árvore da vida. “Eu creio que é o símbolo da árvore da vida, aquela árvore mencionada no livro do Gênesis e que foi plantada na terra da humanidade junto a Cristo (…). Depois, no momento em que Cristo veio ao mundo, a árvore da vida voltou a ser plantada através d’Ele e agora cresce com Ele e amadurece na cruz (…). Devo dizer-lhes, que eu pessoalmente, apesar de ter uns quantos anos, espero impacientemente a chegada do Natal, momento em que é trazido aos meus aposentos esta pequena árvore. Tudo isso tem um enorme significado, que transcende as idades…”, disse em 1982.

Por se tratar de um tempo de preparação para a vinda de Cristo, muitos padres recomendam que a árvore seja ornada ao longo das semanas do Advento. Na Comunidade Shalom, temos o costume de preparar nossas casas com mais detalhes a partir da terceira semana, quando, junto com a liturgia da Igreja, começamos a percorrer o caminho para Belém. As duas primeiras semanas do Advento tratam da segunda vinda de Cristo, enquanto as duas últimas abordam o contexto do nascimento na pobre gruta em Belém.

Como montar a árvore de Natal?

A árvore de Natal é ornamentada com vários adereços, cada um com um significado próprio relacionado ao tempo que estamos celebrando.

  • Pinheiro
    O pinheiro é a única espécie de árvore que mantém suas folhas mesmo no intenso frio do inverno. Com suas cores vivas e verdes o ano inteiro, a árvore representa a esperança e a alegria do nascimento de Cristo.
  • Pisca-pisca:
    As luzes que enfeitam a árvore de Natal representam a luz divina que Cristo trouxe ao mundo com seu nascimento. “Com a sua luminosa presença, Jesus dissipou as trevas do erro e do pecado, e trouxe à humanidade a alegria da resplandecente luz divina, da qual a árvore de Natal é sinal e chamada”, disse o Papa Bento XVI por ocasião da inauguração da árvore de Natal do Vaticano em 2005.

  • Bolas:
    As bolas que ornamentam a árvore de Natal representam os bons frutos gerados. Elas nos lembram que também nós somos chamados a dar bons frutos de conversão para manifestar que o mundo foi realmente visitado e redimido pelo Senhor Jesus Cristo.

  • Sino:
    O sino que enfeita muitas árvores de Natal é o símbolo que representa o anúncio do nascimento de Jesus. Deus vem para salvar o mundo. O sino conclama todos a adorar o Menino Deus.

  • Estrela:
    A estrela colocada no topo da árvore de Natal simboliza o astro que guiou os três reis magos até o local do nascimento de Jesus. A estrela também representa o filho de Deus, que é a estrela-guia da humanidade rumo ao Pai.

A origem da árvore de Natal

A árvore de Natal foi criada por São Bonifácio por volta do ano 723. Bonifácio foi um monge beneditino nascido na Inglaterra e enviado pelo Papa Gregório II para evangelizar os territórios que pertencem hoje à Alemanha. Ao evangelizar um povoado pagão na região da atual cidade de Fritzlar na Baixa Saxônia, São Bonifácio derrubou um enorme carvalho considerado como “O Carvalho do Trovão”. Era costume daquele povoado oferecer sacrifícios humanos – geralmente de alguma criança – a Thor, o deus do trovão.

Na véspera de Natal, São Bonifácio e seus companheiros chegaram ao local a tempo de interromper o ritual de sacrifício. Com seu báculo de bispo na mão, o beneditino se aproximou das pessoas reunidas na base do carvalho e disse:

“Aqui está o Carvalho do Trovão e aqui a cruz de Cristo que romperá o martelo do Thor, o deus falso”.

O santo, então, estendeu seu báculo para impedir o golpe de martelo do verdugo que iria matar a criança para o sacrifício. Milagrosamente o martelo de pedra se quebrou. Os relatos dizem que São Bonifácio disse ao povo:

“Escutai filhos do bosque! O sangue não fluirá esta noite, a não ser que piedade se derrame do peito de uma mãe. Porque esta é a noite em que nasceu Cristo, o Filho do Altíssimo, o Salvador da humanidade. Ele é mais justo que Baldur, maior que Odim, o Sábio, mais gentil do que Freya, o Bom. Desde sua vinda, o sacrifício terminou. A escuridão, Thor, a quem chamaram em vão, é a morte. No profundo das sombras de Niffelheim ele se perdeu para sempre. Desta forma, a partir de agora vocês começarão a viver. Esta árvore sangrenta nunca mais escurecerá sua terra. Em nome de Deus, vou destruí-la”.

 

São Bonifácio pegou então o machado e golpeou o carvalho e, segundo a tradição, uma grande rajada de vento atingiu o bosque e derrubou a árvore desde suas raízes. Ao cair o carvalho se rachou em quatro pedaços. Perto de onde a árvore caiu, havia um pequeno pinheiro. Ao avistá-lo, disse São Bonifácio:

“Esta pequena árvore, este pequeno filho do bosque, será sua árvore santa esta noite. Esta é a madeira da paz… É o sinal de uma vida sem fim, porque suas folhas são sempre verdes. Olhem como as pontas estão dirigidas para o céu. Terá que chamá-lo a árvore do Menino Jesus; reúnam-se em torno dela, não no bosque selvagem, mas em seus lares; ali haverá refúgio e não haverá ações sangrentas, mas presentes amorosos e gestos de bondade”.

Depois desse acontecimento, o bispo beneditino construiu uma capela com a madeira do carvalho derrubado. Foi assim que surgiu, na Alemanha, a tradição da árvore de Natal e se estendeu por diversas regiões até chegar a nós.

 

*Com informações de Prof. Felipe Aquino


Comentários

Aviso: Os comentários são de responsabilidade dos autores e não representam a opinião da Comunidade Shalom. É proibido inserir comentários que violem a lei, a moral e os bons costumes ou violem os direitos dos outros. Os editores podem retirar sem aviso prévio os comentários que não cumprirem os critérios estabelecidos neste aviso ou que estejam fora do tema.

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *.

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *