Notícias

Bruno Faglioni: “Estar no Halleluya é sentir o amor do povo por Deus”

No palco principal, estiveram o cantor Clay Viana e Naldo José, que botou a arena pra dançar muito forró, e a banda Soul Shalom, que toca músicas católicas no estilo black music e fechando a noite a Banda Rosa de Saron.

comshalom

Na segunda noite do Festival Halleluya, em São Luís, milhares de pessoas foram curtir uma programação toda especial, que iniciou com a Santa Missa, logo após foi transmitida a final da Copa Libertadores.

No palco principal, pela primeira vez, estiveram o cantor Clay Viana e Naldo José, que botou a arena pra dançar muito forró, e a banda Soul Shalom, que toca músicas católicas no estilo black music e fechando a noite a Banda Rosa de Saron subiu ao palco com o show mais esperado da noite.

Tempo de adaptação na banda Rosa de Saron

Taís Meirelles é da caravana de Olinda Nova, município da baixada maranhense, é fã da Banda Rosa de Saron. A jovem contou que conheceu a banda a partir de um amigo e que se apaixonou pelo que ouviu, indo assim pesquisar mais sobre eles.

“Uma das músicas mais lindas e que eu mais amo é Máquina do Tempo, na letra dela escutamos ‘Se eu pudesse escrever a história das minhas horas, uma a uma seria do seu lado’, que é do lado de Deus, e é isso que encanta neles, falam de Deus de uma forma indireta, o que nos leva a o amar mais e querer estar mais perto Dele”, explicou Taís.

Bruno Faglioni, novo vocalista da Banda Rosa de Saron, explicou que este é um tempo de adaptação na banda. “Agradeço muito a Deus, é um período de aprendizado em que eu estou vivendo, muita coisa nova que nunca vivi, e estar no Halleluya é sentir o calor humano, sentir o amor do povo por Deus, estar em São Luís é um grande presente da missão, conhecer gente e lugares lindos e acolhedores”, disse Bruno.

“É fantástico estar aqui”

Ainda se apresentaram no palco principal Clay Viana, Soul Shalom e Naldo José que agradeceu muito a Comunidade Shalom por estar presente na sua história com Deus. “Dei meus primeiros passos na fé através de um acampamento de jovens da comunidade, e hoje estar aqui no Halleluya, sendo em São Luís ou em qualquer outro é onde eu posso dar a Deus o que é de Deus através do meu dom, e é fantástico estar aqui”.

Caravanas

Neste ano, o Halleluya São Luís mobilizou caravanas para aqueles que moram em outras cidades do Estado. No total foram doze excussões vindas das cidades Santa Inês, Timon, Viana, Cajari, Igarapé Grande, Tutoia, Barra do Corda e Palmeirândia. Além disso, públicos do Quebra Pote e Paranã, bairros mais distantes da Praça Maria Aragão, também organizaram grupos.


Comentários

Aviso: Os comentários são de responsabilidade dos autores e não representam a opinião da Comunidade Shalom. É proibido inserir comentários que violem a lei, a moral e os bons costumes ou violem os direitos dos outros. Os editores podem retirar sem aviso prévio os comentários que não cumprirem os critérios estabelecidos neste aviso ou que estejam fora do tema.

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *.

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *