Mundo

Um gesto para dizer “basta!”

trafico humano2Conclui-se hoje no Vaticano, na sede da Academia Pontifícia das Ciências, a II conferência internacional sobre o tráfico de pessoas, intitulada “Combate ao Tráfico Humano: Igreja e reforço comparticipado para a aplicação da lei”. Participaram na iniciativa algumas pessoas vítimas de tráfico humano e alguns representantes de instituições policiais que se ocupam deste drama de dimensões planetárias.
O encontro é organizado pela Conferência Episcopal da Inglaterra e País de Gales e liderada pelo cardeal Vincent Nichols, arcebispo de Westminster. Segundo informavam os promotores, objetivo da conferência é “unir esforços para que a lei seja aplicada” de forma a ajudar à “construção de uma rede efetiva que entre todos seja capaz de combater o tráfico”.
Uma rede que passa por uma “cooperação mais estreita” entre Igreja e polícia de forma a “facilitar as investigações conjuntas entre policiais e uma ação mais coordenada internacional” que ajude a “livrar o mundo do flagelo do tráfico de seres humanos, a segunda fonte de riqueza criminosa mais rentável do planeta”.

Deslocando-se ao fim da manhã à Aula Magna da Academia das Ciências, nos jardins do Vaticano, onde decorreram os trabalhos, o Papa Francisco dirigiu a palavra aos 120 participantes, sublinhando que este encontro, importante, é “um gesto”:

“É um gesto. Um gesto da Igreja, um gesto das pessoas de boa vontade, que pretende gritar “basta!”
“O tráfico de seres humanos é uma chaga – uma chaga! – no corpo da humanidade contemporânea, uma chaga na carne de Cristo. É um delito contra a humanidade.
O facto de nos encontrarmos aqui, para unir os nossos esforços, significa que queremos que as estratégias e competências sejam acompanhadas e reforçadas pela compaixão evangélica, pela proximidade aos homens e mulheres que são vítimas deste crime”.

O Santo Padre referiu com apreço a participação neste encontro de “autoridades policiais, especialmente empenhadas em contrastar este triste fenómeno com os instrumentos e o rigor da lei”, e ao mesmo tempo “operadores humanitários, cuja principal tarefa é oferecer às vítimas acolhimento, calor humano e possibilidade de resgate”. Trata-se de “abordagens diferentes, mas que podem e devem caminhar conjuntamente”, pelo que é “muito importante confrontar-se e dialogar a partir destes dois modos complementares de abordar” as situações – observou o Papa, que concluiu agradecendo a colaboração de todos.

Na primeira parte da manhã, o Santo Padre recebeu em audiência, o novo Embaixador da ex-república jugoslava da Macedónia, Zvonimir Jankuloski, para apresentação das Cartas Credenciais. De 55 anos, é doutorado em Direito, investigador e professor universitário.

O Papa Francisco recebeu também o arcebispo Petar Raji, Núncio Apostólico no Kuwait, Bahrein, Yemen, Qatar e Emirados Árabes Unidos.

Fonte: Rádio Vaticana


Comentários

[fbcomments]

Aviso: Os comentários são de responsabilidade dos autores e não representam a opinião da Comunidade Shalom. É proibido inserir comentários que violem a lei, a moral e os bons costumes ou violem os direitos dos outros. Os editores podem retirar sem aviso prévio os comentários que não cumprirem os critérios estabelecidos neste aviso ou que estejam fora do tema.

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *.

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *