Notícias

Voluntários levam alimentos às pessoas em situação de rua de São Paulo

Membros do Shalom de Santo Amaro (SP) se unem para levar doações para os irmãos em situação de rua em tempo de Pandemia.

Era sexta feira à noite, quatro pessoas estavam no carro, três mulheres e um homem dirigindo. De repente, uma delas grita: “Ali! Tem um ali! Para o carro.” E todos descem e vão ao encontro do homem, que está caído de fome.

Essa e outras cenas são as que têm se deparado os voluntários que saem duas vezes por semana, pelas ruas do centro de Santo Amaro (zona sul de São Paulo), ao encontro dos que não tem casa para se proteger da Pandemia.

Os voluntários tentam se proteger do vírus com máscaras, luvas, álcool em gel, e seguem a regra do distanciamento social, mas existe neles um desejo muito maior: o de matar a fome e a sede daqueles que estão nas ruas. Um desejo que ultrapassa o medo do Covid-19.

“Desde quando começou a Pandemia, eu senti no coração uma grande dor pelos que estavam em situação de rua. Ficava pensando ‘Quem vai cuidar deles? Eles estão com fome! Com frio! Preciso fazer alguma coisa.’ Em seguida, partilhei com alguns amigos, que logo se dispuseram a ajudar com doações”, relata Maria do Amparo, uma das voluntárias que está à frente da ação.

O pedido se estendeu para as redes sociais e para os amigos que estão ajudando como podem. Alguns ajudam cozinhando, outros com doação de alimentos, outros ainda ajudam com doação de cobertores novos, para evitar o contágio e proteger do frio. Ainda há aqueles que fazem doação por depósito ou transferência bancária.

“Eu criei coragem, gravei um vídeo e postei nas redes sociais pedindo ajuda para essa ação, e algumas pessoas começaram a entrar em contato para ajudar”, relata Fabio Dantas, outro voluntário envolvido.

Os voluntários ainda levam esperança para as pessoas em situação de rua, seja pela oração, ou mesmo na partilha de vida. Como relatou ‘seu’ Charles, um ex-professor, que fala três idiomas, e que encheu a noite dos voluntários de alegria. “Eu estava aqui deitado, sem forças, nem queria conversar, até vocês chegarem. E olha eu agora, já estou até em pé e sorrindo”, contou o homem que além de sofrer muito por ter perdido a filha, ainda luta contra o vício do álcool. “Se Jesus carregou a sua cruz, eu também devo carregar a minha!”, partilhou ele, olhando para uma cruz que carregava consigo.

Nas ruas se encontra de tudo. Pessoas com muita fome, pessoas feridas de todas as formas, pessoas que perderam tudo, e ainda aqueles que têm alguma dependência química. Mas há algo em comum que sempre se encontra: irmãos que partilham. Sim, eles nos dão uma lição de abandono. Certo homem, ao ser abordado para receber alimento, disse: “Obrigado irmão, mas eu já comi hoje, leve para alguém que ainda não comeu.”

Mesmo diante de tantas doações, ainda não é possível alimentar e nem levar cobertor para todos, já que são muitos em situação de rua. Mas os voluntários não desistem de levar o que têm de mais valioso: a esperança.

E assim, eles voltam para casa revigorados na fé e certos de que vale a pena ultrapassar toda a barreira do medo em vista dos que não têm defesa.

_________________________


 

Mora em São Paulo e deseja ajudar os voluntários de Santo Amaro?

O que doar?

Alimentos, cobertores novos ou valores para compra desses itens.

Não mora em São Paulo e deseja dar alguma ajuda financeira?

(Deposite na conta abaixo)

Leda Maria dias dos Santos | CPF 00440383307
Banco Bradesco | Ag 1996 CC 37360-5

Comprovantes devem ser enviados para o número: 11 95434-8077

+Informações no número 11 95434-8077 ou no email sh.phsantoamaro@gmail.com

 


Rafaela Carneiro


Comentários

Aviso: Os comentários são de responsabilidade dos autores e não representam a opinião da Comunidade Shalom. É proibido inserir comentários que violem a lei, a moral e os bons costumes ou violem os direitos dos outros. Os editores podem retirar sem aviso prévio os comentários que não cumprirem os critérios estabelecidos neste aviso ou que estejam fora do tema.

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *.

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *