Notícias

CACV em Sobral reflete evangelização da juventude

Cerca de 300 membros da Comunidade participaram do encontro, que discutiu o documento do Papa Francisco intitulado “Christus Vivit”.

comshalom

A exortação apostólica pós-sinodal do Papa Francisco “Christus Vivit” foi o documento estudado durante o encontro formativo CACV, que reuniu missionários da Comunidade de Aliança e da Comunidade de Vida Shalom da missão de Sobral. Cerca de 300 membros da Comunidade participaram do encontro nos dias 30 de novembro e 1º de dezembro, no Centro de Convenções, em Sobral.

As formações que tiveram como tema central a evangelização e o amor aos jovens foram conduzidas por Socorro Suzuki, missionária da Comunidade de Aliança Shalom em São Luís (Maranhão). O CACV também contou com a presença e a partilha da co-fundadora da Comunidade Shalom, Emmir Nogueira.

Uma vocação para os jovens

Nascida no meio dos jovens, a vocação Shalom tem a missão de ter para com a juventude um amor especial, já que eles (os jovens) são primazia do carisma. “Somos um povo consagrado em vista de uma missão. Nossa cabeça e nosso coração precisam ser jovens. A verdadeira juventude é ter o coração capaz de amar”, ressalta Socorro a partir do texto do papa.

A missionária lembra ainda que o Sínodo é um apelo da Igreja para a urgência da evangelização dos jovens. “Quando a Igreja grita é porque é urgente. O que estamos fazendo diante de tantas realidades, inclusive de jovens que tiram a própria vida?”, reflete.

Em sua pregação, Socorro Suzuki explicou que o primeiro chamado que o papa faz aos jovens e a toda a Igreja é a renovação da esperança. “Cristo vive e nos quer vivos! Ele é a nossa esperança e a mais bela juventude deste mundo”, afirma. É preciso clamar o Espírito Santo de Deus para cultivarmos os mesmos sentimentos de Jesus, que se deixava conduzir com amor e misericórdia.

Ser jovem é experimentar a esperança

“Ser jovem mais do que uma idade, é um estado do coração. É preciso voltarmos ao essencial do primeiro amor, voltarmos à experiência primeira”, completa a missionária. Além disso, o papa Francisco nos convida a ter um coração humilde e confiante. “Jesus nos disse que o maior entre nós seja o menor, o que mais se oferta na humildade, o mais pobre, o mais casto”, afirma.

Também é necessário na evangelização dos jovens levar a experiência de que Deus é amor e nos deixa livres. “O amor de Deus não nos esmaga ou subjuga. Os jovens precisam ter essa experiência do amor que cura e deixa livre.

Precisamos clamar o Espírito Santo para que nos renove no carisma e na evangelização dos jovens. Se temos o chamado à vocação Shalom, temos a missão de evangelizar os jovens. Estamos dispostos a ser pais e mães dos jovens desamparados que estão nos pedindo socorro?”, completa. 

Não deixemos os jovens sozinhos

Em sua caminhada, os jovens enfrentam muitos desafios que podem deixá-los dispersos diante da voz de Deus, como as ideologias e a violência em suas várias formas.

“Não sejamos uma Igreja indiferente ao jovem que sofre por desconhecer a Deus. O demônio quer entrar na sexualidade e na fraqueza dos jovens, mas precisamos dizer que eles não são o que o mundo diz. Deus é amor! Precisamos levar aos jovens essa experiência de que Deus os ama apesar dos abandonos e maldades vividos por eles”, ressalta.

Outro ponto destacado pelo papa é o ambiente digital. “Muitos jovens estão distantes do convívio com os pais porque estão inseridos no ambiente digital e os relacionamentos online podem se tornar desumanos”, avalia Socorro.

É preciso também não privar os jovens de sonhar, é próprio da juventude desejar coisas grandes, mas é preciso acompanhá-los para que possam perseverar nas escolhas perenes da vida. “Não deixemos os jovens sozinhos. Eles almejam muitas coisas, mas precisam de nós para formá-los. Os sonhos precisam de perseverança para serem realizados. Não podemos roubar a esperança dos jovens em nenhum momento”, diz.

Discernimento vocacional

A Christus Vivit também traz muitos exemplos de jovens que se ofertaram a Deus e foram fieis a sua missão, entre os quais José do Egito, profeta Samuel, Rei Davi e Salomão. No novo testamento, o grande exemplo é a Virgem Maria. “Maria era muito jovem, mas era a mulher do SIM. Ela disse sim a Deus e deixou-se ser instrumento nas mãos do Senhor. Somos pessoas de SIM?”, questiona. 

Para bem discernir o caminho vocacional, os jovens precisam mergulhar em uma experiência de oração. “Os jovens estão com a consciência adormecida pelas ideologias. Para bem discernir o caminho vocacional, é preciso silenciar e mergulhar em Deus. A primeira experiência precisa ser com Jesus que é amigo e nos olha com olhar amoroso”, completa.


Comentários

Aviso: Os comentários são de responsabilidade dos autores e não representam a opinião da Comunidade Shalom. É proibido inserir comentários que violem a lei, a moral e os bons costumes ou violem os direitos dos outros. Os editores podem retirar sem aviso prévio os comentários que não cumprirem os critérios estabelecidos neste aviso ou que estejam fora do tema.

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *.

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *