Igreja

Benigna Cardoso da Silva, a primeira beata do Ceará

A beatificação da jovem cearense teria ocorrido no dia 21 de outubro do ano passado, porém com a pandemia foi adiada e ainda não há uma data oficial para a cerimônia.

comshalom
A Serva de Deus está sepultada na Igreja Matriz de Santana do Cariri (Foto: Antonio Rodrigues)

Benigna Cardoso da Silva nasceu dia 15 de outubro de 1928, em Santana do Cariri (aproximadamente 300km de Fortaleza- CE). É considerada “heroína da castidade”, devido ao martírio que passou aos 13 anos.

O testemunho de fé envolveu uma decisão muito corajosa ao encarar golpes de facões para não ter o corpo maculado. Era uma tarde de sexta-feira, após muito resistir, um certo dia, o rapaz que tinha um grande interesse pela jovem, novamente tentou aproximações, a pediu em namoro e, após rejeição, começou a persegui-la até que em 24 de outubro de 1941 tentou surpreendê-la e a atacou com um facão diante da nova negativa. Aproximando-se, tentou abusá-la sexualmente. Por dizer “não” com tal veemência, teve o corpo esfaqueado até a morte.

“A menina morreu por uma causa, ela deu a vida por uma causa, explicitamente comprovada. Ela preferiu morrer para não pecar, por isso ela é a ‘heroína da castidade’. Assim se torna um exemplo de virtude cristã para todos aqueles que querem ser discípulos do Senhor”, comentou dom Gilberto Pastana que era bispo da diocese de Crato e auxiliava no processo da propagação da devoção de Benigna.

Em janeiro de 2013, a Igreja Católica reconheceu esse gesto, concedendo o título de “Serva de Deus”. O postulador da causa foi Monsenhor Vitaliano Mattioli, formador no Seminário São José, falecido em dezembro do ano seguinte, incentivado por Dom Fernando Panico, hoje bispo emérito da Diocese de Crato.

Benigna, portanto, será a quarta brasileira com o título de beata, depois de Nhá Chica, Padre Victor e Dom Othon Motta.

Beatificação de Benigna

Em fevereiro do ano passado, uma reunião marcou o início dos preparativos para a celebração da beatificação da jovem mártir. Nela, uma comissão foi organizada a fim de pensar e preparar a liturgia, a infraestrutura, a comunicação e as finanças necessárias à cerimônia, marcada para o dia 21 de outubro do ano passado, porém precisou ser adiado e ainda não foi divulgado uma data oficial.

A atual comissão é composta pelo bispo Dom Gilberto Pastana, alguns padres diocesanos, dentre eles o Padre Paulo Lemos, pároco da cidade de Santana do Cariri, e leigos. Hoje não somente a diocese de Crato, mas muitos outros fiéis aguardam a data e a programação.

Ao bispo diocesano, segundo as normas da constituição apostólica Divinus Perfectionis Magister, promulgada pelo Papa João Paulo II em 1983, compete o direito de continuar investigando sobre a vida da Serva de Deus e os possíveis milagres para prosseguir com o processo de canonização. “Vamos primeiro celebrar a beatificação e depois começa o processo de canonização. Temos que percorrer todo um caminho que é um pouco diverso do caminho da beatificação”, finalizou Dom Gilberto.

A devoção à “Heroína da Castidade” cresceu entre os católicos residentes no município de Santana, excedendo os limites das redondezas. Anualmente, milhares de féis realizam uma romaria no dia do martírio, principalmente no local onde ele ocorreu e onde foi erguido um pequeno santuário.

Propagação da devoção de Benigna

Em 2013, após aprovação do processo pela Igreja Católica, a mártir é proclamada “Serva de Deus”. Em outubro de 2019, o Vaticano reconheceu o martírio de Benigna, importante passo para alcançar a beatificação, prevista para 2021, e que a tornará a primeira beata do estado do Ceará.

Com beatificação prevista ainda para este ano, a Menina Benigna vai ter um santuário erguido em Santana do Cariri. A estrutura será formada por um templo para celebração de missas campais, a estátua em memória à Menina, via pavimentada e rampas de acesso ao monumento, estacionamento para motos, carros e ônibus, e jardins arborizados.

Antes da pandemia da Covid-19, levava dezenas de milhares de pessoas às romarias realizadas, normalmente, duas vezes por ano. A peregrinação pelo local onde “a santinha” viveu inclui uma capela e memorial. Mas, logo, no intuito de melhor receber esse volume de visitantes que deve voltar a circular pela localidade com a devida segurança sanitária, uma área de aproximadamente 48 mil metros quadrados (m²) será destinada à construção do Santuário.

Beatificação

Aclamada como “Heroína da Castidade” em Santana do Cariri, Benigna Cardoso da Silva nasceu em 15 de outubro de 1928 e, resistindo à tentativa de Raul Alves de violentá-la, morreu assassinada a golpes de facão em 24 de outubro de 1941 ao ir buscar água em um poço no Sítio Oitis.

O Governador do estado do Ceará, Camilo Santana, comemorou a notícia nas redes sociais. “Essa é uma importante notícia não apenas para o povo católico e da Região do Cariri, mas para o povo cristão, que vê o reconhecimento em mais um exemplo de bondade e fé”, declarou.

Oração a Benigna Cardoso

(Rezar às 16h, horário em que aconteceu o martírio)
Ó Deus trindade, nós vos adoramos, louvamos e bendizemos!
Nós vos agradecemos pela vida e o testemunho de Benigna, que preferiu morrer para não cometer pecado, oferecendo-vos sua vida em plena adolescência, defendendo sua pureza e sua virgindade.
Pedimos-vos, humildemente, se for do vosso agrado, alcançarmos a graça de ver  essa vossa serva beatificada e elevada à honra dos altares.
Que os nossos adolescentes e jovens sejam imitadores de suas heroicas virtudes, fortes na fé e na esperança, a exemplo de Benigna.
Virgem maria, Mãe de Deus e da Igreja, rainha dos mártires e das virgens, intercedei por nós, como nossa advogada junto a Deus Trindade, para que vossa filha Benigna possa merecer o reconhecimento de santidade.
Amém!

VEJA TAMBÉM

Menina Benigna: a radicalidade em viver a castidade

Benigna Cardoso da Silva próxima Beata brasileira

Youtube: Radicalidade: a marca da juventude Shalom – Moysés Azevedo


Comentários

Aviso: Os comentários são de responsabilidade dos autores e não representam a opinião da Comunidade Shalom. É proibido inserir comentários que violem a lei, a moral e os bons costumes ou violem os direitos dos outros. Os editores podem retirar sem aviso prévio os comentários que não cumprirem os critérios estabelecidos neste aviso ou que estejam fora do tema.

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *.

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *