Notícias

Novo olhar neste tempo quaresmal

“Quaresma, tempo favorável para viver a proximidade, a compaixão e a ternura que são estilo de Deus, para dar sentido de fé e esperança a esta crise pela qual estamos passando revelada pela pandemia” (Papa Francisco)

comshalom
(Imagem/Comshalom)

Quaresma é tempo de conversão. É um tempo especial de graças que devemos aproveitar ao máximo para fazermos uma renovação espiritual em nossa vida. São Paulo insistia: “Em nome de Cristo vos rogamos: reconciliai-vos com Deus!” (2 Cor 5,20); “exortamos-vos a que não recebais a graça de Deus em vão. Pois ele diz: ‘Eu te ouvi no tempo favorável e te ajudei no dia da salvação’ (Is 49,8)”. “Agora é o tempo favorável, agora é o dia da salvação” (2Cor 6,1-2).

Cada semana vivida aproxima o dia da grande festa da Ressurreição do Senhor. Neste tempo quaresmal, marcado pela pandemia, doenças virais, guerras e conflitos, o olhar de esperança pelo novo gera alegria e esperança. 

Esse tempo de penitência é recordado pela liturgia: as vestes e os paramentos usados são de cor roxa (no quarto domingo da Quaresma, pode-se usar o rosa, representando a alegria da Páscoa); o Glória não é cantado ou rezado; a aclamação do “Aleluia” também não é feita; não se enfeitam os templos com flores; o uso de instrumentos musicais torna-se moderado.

Quaresma, tempo de revisão de vida

Quaresma é um tempo de “rever a vida” e abandonar o pecado, e  viver o que Jesus recomendou: “Vigiai e orai, porque o espírito é forte, mas a carne é fraca”.

A psicóloga, catequista e escritora Goretti Dias nos ajuda a refletir sobre este assunto. Ela tenta fazer um voo conjunto na pandemia e no tema da Quaresma. A sensação de estarmos vivendo uma Quaresma gigante é real. Até porque os 40 dias não significam 40 dias cronológicos. O voo que gostaria de fazer quer mostrar que estamos realmente no deserto de nossas almas”. Ela ainda explica que a pandemia nos tirou da vida do lado de fora e, assim como é a proposta da Quaresma, nos colocou em uma vida para dentro. “A pandemia nos traz imposição, mas a Quaresma nos mostra um propósito”. 

Práticas necessárias

Algumas práticas no tempo quaresmal são recomendadas, em especial, a Igreja convida a todos ao jejum, oração e caridade. É tempo para se meditar mais profundamente a Bíblia, especialmente os Evangelhos, a vida dos santos, fazer um pouco de mortificação com a intenção de fortalecer o espírito para que possa vencer as fraquezas da carne, exercícios de mortificação que irão auxiliar a fortalecer o espírito.

Além disso, vale algumas outras sugestões:

  • Oração meditada e intencionada aos que sofrem, aos perseguidos e refugiados;
  • Rezar com a Palavra, ouvir o que Deus quer te dizer por meio de algum estudo bíblico;
  • Fazer jejum, visitar um doente e oferecer ajuda aos pobres;
  • Praticar a caridade e a esmola;
  • Buscar pelo sacramento da reconciliação, fazer um bom exame de consciência;
  • Participar da Santa Missa também em dias da semana;
  • Meditar a Via Sacra e buscar na oração formas de enfrentar as tentações.

É preciso deixar claro que Quaresma não é  um “tempo de tristeza”. Ao contrário, a alma fica mais leve e feliz, livre dos seus males. Santo Agostinho dizia “os teus pecados são a tua tristeza; deixa que a santidade seja a tua alegria”. A verdadeira alegria brota no âmago da virtude, da graça. É tempo oportuno para ser uma autêntica e alegre testemunha do Cristo Ressuscitado que passou pela Cruz.

Leia também| Recomendações de Santo Agostinho para a boa vivência da Quaresma

Um sentido as dores deste tempo

Além disso, neste ano, fomos acometidos também pelas guerras no mundo, confrontos políticos, a realidade instável dos refugiados, e o olhar atento do Papa Francisco sobre tais realidades, convidando toda a Igreja a se unir em oração, jejum e gestos concretos de caridade. Além disso, recentemente, Rússia e Ucrânia foram consagradas ao Imaculado Coração de Maria. 

>> Confira a oração do Papa para a Consagração da Rússia e Ucrânia

Assim, neste momento na história, vivendo os desafios da pandemia, muitos estão falando de um ‘novo normal’, ou ‘um novo futuro’, com realidades que vão surgir brotadas da pandemia. Sim, certamente tudo poderá ser diferente. O que era normal antes da pandemia, talvez demore um tempo para voltar, um novo futuro virá trazendo tempos difíceis para economia e para as relações, mas este novo futuro também mostra relações mais solidárias, ações de caridade, gestos concretos de amor, pessoas mais altruístas, famílias mais unidas, jovens e adultos capazes de se reinventar diante das dificuldades, pessoas capazes de escancarar portas que antes estavam fechadas e uma nova janela para o diálogo poderá surgir.

Misericórdia de Deus

Que neste tempo que ainda se vive a Quaresma, você possa cultivar ainda mais a misericórdia, a compaixão, a esperança, a proximidade e a ternura.

Recordando como nos disse o Papa Francisco que a Misericórdia é o ato último e supremo pelo qual Deus vem ao nosso encontro. Misericórdia: é a lei fundamental que mora no coração de cada pessoa, quando vê com olhos sinceros o irmão que encontra no caminho da vida”. Muitas vezes não nos damos conta do irmão que está do nosso lado e precisa da nossa ajuda, nos tornamos insensíveis à dor do outro, porque não temos tempo de parar para ouvi-lo, ou para estender a mão.

A pandemia também mostrou que o tempo já não funciona da forma como existia antes, foi necessário todos pararem para percebermos que o tempo não corria da mesma forma.  O isolamento social mostrou que ninguém é dono do tempo, que o tempo pertence a Deus, e que o nosso tempo muitas vezes não é o tempo de Deus.

[Confira a página especial da Quaresma]

Planner de Quaresma 2022

 Quer viver melhor a Quaresma? Baixe já o Planner minha Quaresma e trilhe esse caminho de conversão com segurança!  [CLIQUE AQUI].

Meditações para a Semana Santa

A cada ano, a Comunidade tem lançado um novo número da coleção Meditações para a Semana Santa, que traz sempre reflexões à luz da Palavra de Deus e da Doutrina da Igreja, inserindo o fiel batizado no mistério central da fé católica: a Paixão, a Morte e a Ressurreição de nosso Senhor Jesus Cristo. 

Esse tempo litúrgico deve ser vivido com a devida atenção ao seu espírito próprio, aos mistérios e conexões com nossa vida, gerando uma renovada conversão pessoal. Além disso, é tempo de reunir toda a Igreja e celebrar de forma intensa a razão da fé católica: Cristo se entregou por cada homem e vivo está.

[Adquira o E-book com as meditações para a Semana Santa 2022]


Comentários

Aviso: Os comentários são de responsabilidade dos autores e não representam a opinião da Comunidade Shalom. É proibido inserir comentários que violem a lei, a moral e os bons costumes ou violem os direitos dos outros. Os editores podem retirar sem aviso prévio os comentários que não cumprirem os critérios estabelecidos neste aviso ou que estejam fora do tema.

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *.

O seu endereço de e-mail não será publicado.